Torcedor cruzeirense, seja coerente com o que diz


Passadas as emoções de mais um jogo entre Cruzeiro x CAM é hora de direcionar toda energia ao que realmente interessa, a Libertadores. Mas antes, gostaria que o torcedor cruzeirense fosse mais coerente com o que diz por aí , vou explicar. Vamos aos fatos. 

Ouço e leio em todas as partes torcedores chamando o jogo entre CEC X CAM de ex-clássico, desprezando o Campeonato Mineiro, chamando-o carinhosamente de Rural (concordo com essa denominação) e priorizando outras competições. Então, por que tanta cornetada após a partida? Pelo que vi em campo na Arena do Jacaré o jogo foi bem disputado e o Cruzeiro foi bem. Além de duas bolas na trave o goleiro alvinegro fez cinco grandes defesas. Já Fábio apenas uma.

Outra coisa que me deixou bastante incomodada foram as atitudes isoladas de alguns “torcedores” que apedrejaram o ônibus do nosso adversário e jogaram objetos no gramado. O juiz deve relatar isso na sumula e o Cruzeiro poderá perder mando de campo. Aí depois vem neguinho reclamar que o time vai jogar em Uberlândia. Eu até acho que o Cruzeiro deveria jogar lá mesmo. Time grande deve jogar em campo bom e em estádios que ofereçam o mínimo de segurança e conforto a todos.

Perder sempre é ruim, mas não acho o fim do mundo a derrota de sábado. Serve para tirar algumas lições e conclusões. Ficou bem claro (mais uma vez) que precisamos de um atacante bom. E não venham me dizer que Wellington Paulista jogou bem e regula nos clássicos. Esse confronto acontece no máximo cinco vezes ao ano e não vale título algum. Precisamos de jogador artilheiro com presença em pelo menos 90% dos jogos durante o ano. Outro problema de WP é que leva muitos cartões amarelos, geralmente por reclamação ou então arrumando confusão em campo.

Outra constatação é a fragilidade na lateral direita. Antes do jogo Rômulo deu uma entrevista dizendo-se surpreso por estar no banco de reservas, ou até fora, sendo que fez apenas um jogo. E aí Cuca, vai reclamar de novo nos microfones? Apesar de acha-lo fraco para ser o titular compreendo sua insatisfação. O treinador vem se mostrando incoerente em alguns aspectos. Por que não é rigoroso assim com Wellinton e Gilberto (que, apesar de admirar, vem sendo questionado pela torcida)? As improvisações também não me agradam. Penso que essas observações deveriam ser feitas também por quem comando o clube. Ainda há tempo de solucionar os problemas. O clássico serve para isso, apenas para isso. No fim da competição tenho certeza que estaremos disputando o título, de novo!

Jogo que vale

Nosso próximo adversário é o Estudiantes. Imagino que a Nação Azul esteja ansiosa por esse duelo. Não esqueço do semblante da minha amiga Cris naquele 15 de julho de 2009. Nem das pessoas que não conheço e que estavam perto de mim próximos ao portão seis. Acho que desde aquele dia esse é o jogo mais esperado por todo cruzeirense. Ninguém imaginava que seria tão rápido, mas chegou a hora. Portanto, temos que começar mais uma Libertadores com vitória.

Acho lamentável a ausência de Fabrício, essa competição é a cara dele, mas já que não podemos contar com ele, sorte a quem for escalado. Desejo o mesmo ao Victorino caso sua estréia aconteça.

Então guerreiros, bola pra frente. Ergam as cabeças e entrem em campo com toda raça e determinação para ganharem. Tirem proveito das lições do jogo do último sábado e aprendam com os erros, porém, agora eles fazem parte do passado e somente nos cabe a vitória. Lembrem-se: junto com vocês estarão em campo oito milhões. Como diz o Hino de amor ao Cruzeiro, da torcida Fanaticruz, “(…) Só quem te trás aqui no peito tem noção do quanto és grande, porque és uma nação. Avante, meu Cruzeiro! Saiba que seu torcedor, é força, e o seu décimo segundo jogador(…)”