Rápido & Rasteiro: Mais três pontos


EITA VITÓRIA DIFÍCIL, SEU…!!! O mais importante é que ela veio, com todas as dificuldades, principalmente em virtude da atuação magnífica do goleiro do Leão do Bonfim e apesar do pasto , em que a partida foi disputada. O gramado é tão irregular que, em determinado momento do jogo quase que o Goleiro Fábio é surpreendido por uma bola atrasada. Pegou num montinho artilheiro e quase o encobre.

E ESSA HISTÓRIA DE QUE O GRAMADO foi ruim para os dois times não serve de explicação, pois os jogadores do Vila Nova comem bebem e dormem ali e, portanto, conhecem cada irregularidade, cada cupinzeiro. Quem treina lá, diuturnamente, tem mais é que conhecer.

Rápido & Rasteiro: Mais três pontosSEM CONTAR AS DIMENSÕES REDUZIDAS, que fazem com que com um, dois passes, e já se está na área do adversário e os chutes a curta e média distâncias, que não chegaram a ser explorados pelo Cruzeiro, mas foram aventurados pelos donos da casa, são outra alternativa para se tentar surpreender. Ainda bem que aquele lance de Gedeon apenas assustou. Se aquela bola entra as coisas ficariam complicadas.

MAIS UMA VEZ PREVALECEU A MEXIDA do Mestre Cuca. O gol da vitória saiu em jogada de Wállisson pela direita, passando de passagem por seu marcador, indo à linha de fundo a cruzar para a finalização de André Dias. O detalhe é que ambos entraram no segundo tempo. Aliás, como muito bem ressaltou minha filha, Neliana, essa tem sido a predominância do time do Cruzeiro desde que Cuca assumiu o comando.

ELE TEM UMA LEITURA DA PARTIDA muito eficiente e, espero, isso persista por muito tempo, pois esse tipo de análise e mudança tem o objetivo de surpreender o adversário. Se aquele goleirinho do Vila Nova defendesse essa bola seria demais, pois ele foi responsável direto pelo marcador ter ficado no gol único.

PELO NOSSO LADO, FÁBIO TAMBÉM interveio bem, quando necessário, principalmente numa cabeçada, à queima-roupa, do mesmo Gedeon. Suas intervenções foram em menor número, mas igualmente fundamentais para nossa sistema defensivo se mantivesse sem tomar gol.

GOSTEI, COM ALGUMA RESERVA, DA ESTRÉIA de Leandro Guerreiro, mas não se pode dar ao luxo de errar passes e armar contra-ataques como em duas situações. Foram poucos, mas comprometedores esses lances. Aliás, erro de passe tem sido uma tônica de nossos jogadores, muito mais por afobação do que qualquer outra coisa. Temos qualidade e exatamente por isso que estou cobrando, mesmo sendo a partida de estréia de nosso novo Guerreiro.

ESTOU COBRANDO TAMBÉM MUITO MAIS porque sei da capacidade e da competência de nossos jogadores, verdadeiros guerreiros dos gramados, sem contar que não gosto de ver essas jogadas bisonhas acontecerem. É início de temporada, mas nunca será demais esperar um melhor futebol de nossa equipe.  E que o aperitivo servido por André Dias ontem seja exatamente isso, e que venham muitos outros gols para nos conduzir a conquistas maiores.

NÃO POSSO DEIXAR PASSAR EM BRANCAS nuvens a atuação dos sopradores-de-latinha. Dois lances bisonhamente mal-marcados pelo porta-bandeira, que poderiam ter definido o jogo pelos donos da casa. Quando ao chefe do trio, só posso dizer que ele continua com aquela mania de deixar os adversários do Cruzeiro meterem a botina e, quando muito,  ser punidos apenas com amarelo.

EXEMPLIFICO COM O LANCE DE EXPULSÃO de Carciano, que deveria receber o vermelho, direto, pois o baixinho-bom-de-bola Dudu sairia na cara do goleiro do Vila e recebeu um chute no rosto. Para mim, chute no rosto não se pode punir apenas com amarelo. Digo com toda a segurança que, fosse do lado oposto, ele não hesitaria em expulsar o infrator. É essa mania de querer mostrar que sabe apitar contra os grandes, principalmente quando esse é o Cruzeiro.

BASTA LEMBRAR, TAMBÉM, QUE ESSE mesmo soprador-de-latinha cometeu a tirania de expulsar nosso ídolo Juan Pablo Sorín em seu jogo de apresentação no novo clube. Precisa dizer mais alguma coisa de uma pessoa que tira o homenageado de sua festa…??? Foi esse soprador que não hesitou em amarelar quantos jogadores do Cruzeiro quis, deixando alguns vila-novenses terminar, incólumes, o jogo, apesar de cometerem infrações iguais ou piores do que as que ele puniu pelo lado cruzeirense.

COMO QUEM AVISA AMIGO É, é bom o Cruzeiro ficar esperto sobre quem vai atuar no clássico do próximo domingo. Esse povinho do apito-na-boca está muito esquisito…!!! Abre o olho, Zezé Perrella, antes que seja tarde. Cuidado com esses tais sorteios pois eram feitos, antigamente, com as chamadas “pedras geladas”…!!!