O Cruzeiro e seus negócios: Ponto de vista


Dando sequência à minha última coluna que fala sobre especulações, falarei um pouco do que ocorreu na última semana. Em específico, de Rafael Moura e Leonardo Silva, também falarei sobre alguns negócios que o Cruzeiro faz e que sinceramente, não consigo entender.

Está chegando o Natal, e com ela a esperança da torcida de receber um baita presente no dia de Natal. Mas como já é de praxe da nossa diretoria nada é anunciado no dia 25. Deixam geralmente para anunciar no dia do aniversário do clube, dia 2 de janeiro. Tomara que pelo menos esse ano eu queime minha lingua.

Enquanto isso, o noticiário que vem merecendo destaque são as declarações de Rafael Moura, e do silêncio de Leonardo Silva e seu processo de renovação.

Rafael Moura

Destaque do Goiás no último brasileirão e Copa Sul Americana foi especulado em vários clubes ainda durante estas competições e com mais força no Cruzeiro ou Atlético-MG, por suas raízes mineiras, pelo seu começo na base do Vila Nova, passando depois pelo Atlético-MG.

Ele foi oferecido por seu empresário ao Cruzeiro. Houve reunião, mas ele pediu alto. Abusurdos, duzendos e cinquenta mil reais. Não se chegou a um acordo e esta negociação ficou em compasso de espera.

Depois disso, Rafael Moura começou a colocar lenha na fogueira, dando declarações que no mínimo deixa a diretoria do Cruzeiro numa saia justa. Como esta a seguir:

*”- Já conversei com quem tinha que conversar, já abri mão de muita coisa, e agora está na hora do Cruzeiro tomar uma posição definitiva também. Tive proposta do Palmeiras, de time de fora, da Itália. Eram propostas concretas, e o Cruzeiro sabe disso. Vou atender primeiro a minha vontade e de toda a minha família, por isso quero permanecer aqui. Estou tentando criar possibilidades para que o Cruzeiro consiga fazer essa transação.”*

É uma declaração que empurra totalmente a responsabilidade para o Cruzeiro e sua diretoria. Eu, sinceramente não acho esse Rafael Moura bom jogador. Na minha humilde opinião, está apenas em boa fase, e fases, passam.

Duzentos e cinquenta mil, é muito dinheiro para um jogador de 28 anos que teve chances em clubes grandes como o Corinthians por exemplo, e não vingou. Acho arriscado apostar em “boa fase”.

Mas uma parcela da torcida, como disse na minha coluna anterior, não tem discernimento de muita coisa e acredita em tudo que sai nos jornais revistas, rádio, tv e não procura ver o outro lado disso tudo ou ver as entrelinhas. Aposto que se o Cruzeiro não contratar o Rafael Moura, coisa que, torço para acontecer, muita gente vai cair de pau na diretoria.

Leonardo Silva

Nosso xerifão se contundiu este ano e nos desfalcou durante boa parte do brasilierão. Passou por cirurgia e ficou no CARE se recuperando. Seu contrato se encerra agora dia 31 de Dezembro. O Cruzeiro, procurou o atleta, seu representante e fez uma gerenosa proposta de renovação, mas o silêncio impera. Com isso, o Santos de Adilson Batista entrou na briga para contar com o jogador e agora se  criou este impasse.

Leonardo Silva, é um zagueiro importante em nosso grupo, é seguro, sabe jogar, mas ficar com este lenga lenga, esperando propostas cairem do céu, para fazer “leilão” também não concordo. Se ele não quer ficar que fale logo de uma vez para não atrasar nosso lado também. Seria bom decidir isso logo. Deixa a entender que existe uma má vontade da parte dele em dar a resposta rápido. Como infelizmente não temos novidades o jeito é aguardar.

Negócios que não entendo

O Cruzeiro tem atualmente uma legião de jogadores emprestados para outros clubes. Em alguns deles pagamos verdadeiras fábulas e estes sequer fizeram mais de 5 jogos com a camisa celeste. É o caso de Reinaldo Alagoano, jogador ao meu modo de ver péssimo tecnicamente, e que o Cruzeiro gastou a bagatela de um milhão de reais. O mesmo podemos dizer de Kieza, em que desperdiçamos dois milhões de reais.

O Cruzeiro pagou essa grana nesses jogadores, os mesmos não deram certo aqui e foram emprestados. Alguns destes “emprestados”, sequer dão retorno, o Cruzeiro não recebe nada pelo empréstimo e o clube que pega emprestado arca apenas com os vencimentos do atleta, o que acho prejuizo aos nossos cofres.

O problema vai muito além disso, muitas vezes são jogadores que empresários colocam aqui por que “Aqui se vende”. Mas é válido dizer que para ser vendido pelo Cruzeiro, o cara tem que pelo menos saber jogar bola. E sinceramente não vi isso em nenhum desses dois que citei aqui.

Abaixo uma relação de jogadores que estão emprestados e que voltam agora em janeiro para a Toca 2:

Lateral-direito: Marcos (Avaí), Apodí (Guarani) – Zagueiros: Thiago Martinelli (Vitória), Luizão (Bahia), Wellington (Atlético-GO) – Meias: Bernardo (Goiás), Jones (Goiás), Dudu (Coritiba), Camilo (Ceará), Reina (Ceará) – Atacantes: Jajá (Ipatinga), Wanderley (Grêmio Prudente), Eliandro (Sport), Anderson Lessa (Náutico) Reinaldo Alagoano (Vegalta Sendai-Japão) – Fonte.: Superesportes

Penso que se o Cruzeiro vendesse pelo menos metade destes jogadores, teria grana em caixa para investir em jogadores que realmente possam fazer a diferença no time. O problema é, com tanto jogador que na visão deste colunista, não tem lá tanta qualidade assim, quem vai querer comprar?

Encerro aqui minha coluna, desejando um Feliz Natal a todos os colaboradores do site Guerreiro dos Gramados, ao Paulo, pela oportunidade de me ceder este espaço no site, e aos leitores e torcedores que todos os dias acessam nossas colunas e comentam sobre o maior de Minas. Fica meu desejo de um Natal iluminado e azul a todos!

É isso ae!