Mão cheia na “oreia” de Verón


Em noite de gala, o Cruzeiro massacra o Estudiantes na Arena do Jacaré. A Libertadores 2011 começa com o pé direito, e um tapa de mão cheia na “oreia” de Verón, que agora vai ter que chorar no colo  das galinhas…  
 
Podem até dizer que a tarefa do Cruzeiro foi “facilitada” pelo gol aos 50 segundos de jogo. Não me importa. Ao longo da partida, o Cruzeiro mostrou sua grande qualidade técnica, contra um adversário tradicional, mas que ontem foi literalmente destruído pelo time celeste.
 
A zaga perfeita, com Pablo, Gil e o xerifão Victorino. Gilberto na esquerda foi uma boa surpresa e atuou bem. Marquinhos Paraná, Henrique, Roger e Montillo comandaram o meio de campo como maestros. No ataque, Wallyson foi um furacão pela direita, rápido, driblador e mortal. Somente Wellington Paulista “destoou” dos demais, correu muito e se esforçou, mas não mostrou futebol.
 
Foi bom estrear com o pé direito na Libertadores 2011. Melhor ainda foi enfiar a “mão cheia” na “oreia” do Estudiantes e de Verón. Agora resta chorar abraçadinho com os torcedores cor-de-rosa que tiraram fotos com eles em um hotel de BH.
 
O Estudiantes ontem honrou o seu nome. Aprendeu direitinho com os fracassados e derrotados cor-de-rosa de BH, os “mestres em apanhar 5×0”. Afinal, já apanharam duas vezes de cinco do Cruzeiro, já tomaram de cinco do Grêmio, do São Paulo, do Palmeiras…
 
Ainda faltam 13 passos rumo ao tri. Sou realista, como todo bom torcedor do Cruzeiro deve ser. Não fico empolgado com qualquer resultado. SOU CRUZEIRO!!! Nunca estou satisfeito e QUERO VENCER SEMPRE!!! Já tenho duas Libertadores E QUERO A TERCEIRA!!! Tenho dois brasileiros E QUERO O TERCEIRO!!! Quero também VENCER O MUNDIAL!!!
 
Libertadores é para time grande, rapaz!!! Não é pra qualquer coisa que existe na cidade.
 
Abraços a todos.
 
Nota final 1: sobre a nova camisa celeste, respeito quem achou bonita, mas eu não gostei nem um pouco. Concordo com a homenagem ao uniforme de 1943 e que a história de um clube deve ser respeitada, mas a tradição de conquistas do Cruzeiro se fez com o manto sagrado azul-celeste, cinco estrelas soltas no peito. Ponto final.
 
Nota final 2: o jogo estava tranquilo para o Cruzeiro e mesmo assim um torcedor jogou um objeto no gramado. Torcedor celeste, por favor, NÃO JOGUE OBJETOS DENTRO DE CAMPO DURANTE AS PARTIDAS. Sei que dá vontade de jogar qualquer coisa na cabeça de argentinos e de juízes vagabundos como o de ontem. Mas isto só vai atrapalhar nosso time na luta pelo tri. Antes de descontar sua raiva jogando coisas, pense no prejuízo que seu time pode ter nas fases decisivas do campeonato.