Vai brincando, vai! (Cruzeiro 0 x 0 Chapecoense – Campeonato Brasileiro 31ª rodada)

Salve, guerreiros!

Empate com muito sabor de derrota neste domingo no Mineirão. Resultado que contribui para os números negativos do Cruzeiro em seu estádio nesse campeonato de dois mil e dezesseis, ao contrário do amplo domínio obtido no biênio treze/quatorze quando sagrou-se bi-campeão. Pênalti perdido, bola na trave e uma partida muito segura da zaga catarinense foram os principais fatores que mantiveram o zero no placar. Uma pena, já que a vitória nos deixaria em situação muito confortável na luta contra o descenso.

O Jogo

Um domínio quase absoluto do Cruzeiro durante os noventa minutos foi o que vimos ontem no Mineirão. A Chapecoense pouco incomodou a defesa celeste que vem se portando bem nas últimas partidas, já se vão mais de seiscentos minutos sem Rafael buscar a bola no fundo das redes, o que mostra evolução na parte defensiva do Cruzeiro.

Já na frente a história é inversa. Estamos vivendo uma verdadeira “Ábiladependência”, pois quando o argentino passa em branco, nosso placar dificilmente sai do zero. Até pênalti Whanchope perdeu. Sem convicção alguma na batida, correu olhando somente para a bola, sem considerar o movimento do goleiro Danilo, encheu o pé e a bola ficou nas pernas do goleiro. Ramon ainda acertaria a trave ao fim da partida.

Mas o assunto mais comentado nas redes sociais, e corroboro com ele, foram as substituições equivocadas de Mano Menezes. Mais uma vez ele queima uma delas com Willian que vive péssima fase, pior, colocando no lugar de Sobis que fazia boa partida. Sem sentido também foi a entrada de Cabral, que nem de longe apresenta o bom futebol do ano passado. Contra um time fechado, costuma resolver o talento individual, e não consigo aceitar que Mano considere entrar com Willian e manter nosso líder em assistências e vice-artilheiro no banco, De Arrascaeta.

Por conta disso, Mano fica com nosso “Guerreiro de lata”. Diante do resultado, fica difícil eleger nosso “Guerreiro de ouro”, ao menos dentro de campo. A horaria dessa vez fica com a China Azul que cantou o tempo todo, e inteligentemente, deixou as vaias para depois do apito final. Entenda o recado, Cruzeiro, estamos fazendo nossa parte, levando a sério a situação, esperamos que nossos atletas e comissão técnica parem de brincar com coisa séria.

Mano, não inventa moda, faz o simples. Considere o número de gols e assistências do uruguaio antes de lançar Willian em campo. Entendo a opção por Rafinha pela composição defensiva, mas contra um time que não ameaçou, você podia ter sido mais ousado.

Não posso encerrar sem falar também da atuação patética do Edimar que errou praticamente tudo que tentou, vou colocar na conta da falta de ritmo pelo jogo fora. Só não foi o guerreiro de lata porque considero os erros nas substituições mais graves por influenciarem no resultado.

Agora é juntar os cacos, tentar a sorte contra o Corinthians na Copa do Brasil antes de tentar recuperar contra o Vitória, fora de casa, os pontos perdidos nesta rodada.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 0 X 0 CHAPECOENSE

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 16 de outubro, domingo
Horário: 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Cartões amarelos: Romero (CRU); Cleber Santana (CHA)

CRUZEIRO: Rafael; Lucas, Léo, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique (Ariel Cabral), Lucas Romero, Robinho, Rafinha (Alisson) e Rafael Sóbis (Willian); Ramon Ábila
Técnico: Mano Menezes

CHAPECOENSE: Danilo; Gimenez, Neto, William Thiego e Dener (Gil); Matheus Biteco, Sergio Manoel, Cleber Santana e Alan Ruschel (Hyoran); Kempes (Bruno Rangel) e Ananias
Técnico: Caio Júnior

Vamos continuar lutando, China Azul! Vamos cantar, e empurrar o Cruzeiro, pois dos times que brigam embaixo, nossa situação ainda é a mais confortável. Não podemos ficar perdendo pontos bobos como ontem. Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr