Foto: Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro

Um atacante como manda o figurino

Salve Nação!

Finalmente, desde a saída de Marcelo Moreno, o Cruzeiro parece ter reencontrado um artilheiro à sua altura. O “Wanchope”, Ramón Ábila que chegou bem recomendado pelas boas temporadas no Huracán, da Argentina, vem mostrando porque é tão respeitado em seu país. Em cinco jogos como titular pelo Cruzeiro, Ábila assinalou três tentos no total.

Logo que chegou ao Cruzeiro, o argentino foi criticado por alguns torcedores e jornalistas por seu porte físico. Alguns chegaram a dizer até que o atacante era uma espécie de Walter do Brasil. E, não erraram. Ábila é realmente um atacante de rara qualidade, assim como o gordinho que passou por aqui em 2012, mas chamá-lo de gordo é uma heresia descabida. É um jogador extremamente forte e que usa o porte físico em seu favor na disputa com os zagueiros adversários.

O que tem mais me impressionado até aqui, é a facilidade que o argentino exibe para finalizar. Com as duas pernas em ponto de bala, o “Wanchope” tem até aqui, um aproveitamento de 63,6% quando o assunto é finalizações, segundo o site “Footstats”. E os três gols marcados por ele até aqui comprovam os dados. Contra Inter e Corinthians, Ábila não hesitou e marcou dois golaços, de primeira. Não dando tempo nem para a defesa pensar em marcá-lo. Por outro lado, na partida de volta contra o Vitória pela Copa do Brasil e nas partidas contra Sport e Internacional pelo Brasileirão, o dono da camisa 50 mostrou além da tranquilidade, certa habilidade para se livrar dos marcadores antes de finalizar.

Ramon Ábila é um tipo de atacante em extinção no mercado, mas que enche o olho de qualquer torcedor e admirador do futebol. Não é craque, mas a eficiência impressiona. É um goleador que seria titular em todos os times da série A hoje. Continuemos na torcida, por gols do Ábila e por uma arrancada do Cruzeiro no Brasileirão, e na Copa do Brasil!

Por: Simon Nascimento