Três longas semanas (Flamengo 1 x 1 Cruzeiro – Copa do Brasil Final)

Salve, guerreiros.

Serão três longas semanas até a finalíssima a se realizar no Mineirão no próximo 27/09. O que fazer até lá para manter os nervos em dia? Isso cabe a cada pessoa, eu posso apenas sugerir. Aprenda uma atividade artística, por exemplo: Tricot, pintura, quem sabe aquele violão que faz tempo que você está querendo aprender. Mas, o importante é não surtar até lá, pois, a taça ficou mais próxima, faltam apenas 90′. O importante é não entrar no clima de “já ganhou”, manter a humildade, os pés bem fincados no chão. Lembro-me bem que em 2003, o Cruzeiro saiu na frente, levou o empate no final. O adversário naquela feita era o Flamengo, e criou todo o clima que venceria no Mineirão por causa daquele empate. Edilson “Capetinha” falou um monte de bobagens na imprensa, e o castigo veio em 28′ no segundo jogo. Fica o aviso, não tem nada ganho.

O jogo

O Cruzeiro surpreendeu o Flamengo criando algumas chances no início da partida, mas, em pouco tempo, o time da casa equilibrou as ações e passou a dominar o jogo. Ficou evidente a superioridade em números do Flamengo no ataque, enquanto a defesa celeste brilhava com Léo, Murilo e principalmente Fábio.

Primeiro tempo

A Raposa começa tentando pegar o Flamengo de calça curta no início da primeira etapa, mas cede terreno ao não ter êxito nessa investida. O Flamengo faz o que era esperado e parte para cima obrigando nossos defensores a jogarem a vida. Fábio brilhou com defesas difíceis e importantes frustrando os planos do time de Rueda. Mano precisa rever essa segunda bola, o Cruzeiro perdeu quase todas e não conseguiu mais ameaçar o Rubro-negro.

Segundo tempo

Essa etapa começa como termina a primeira, o time da casa pressionando e nossa defesa brilhando. Léo fez o jogo da vida, cortou várias jogadas do Flamengo que seriam capitais. Enquanto isso na frente, Rafael Sobis inoperante, Alisson isolado, Thiago Neves até tentava quando a bola chegava nele, mas o Cruzeiro mal ameaçou atacar o Flamengo.

O gol do Flamengo, para não perder o costume, foi irregular, aliás, muito irregular, pois a bola além de bater no braço de Arão, obrigando Fábio a operar mais um milagre, sobrou para Lucas Paquetá completamente impedido tocar para o gol. Como há males que vem para bem, o gol sofrido acordou a Raposa, provocou as substituições e a busca pelo empate que veio nos pés de De Arrascaeta que entrou e desequilibrou.

A Raposa teve chance com Alisson que finalizou em cima do goleiro, para a sorte dele, mas, o 1 x 1 ficou de bom tamanho. Guerreiro de Ouro é dele, Léo foi um monstro! Fábio não ficou muito atrás, mas, sofrer o gol, ainda que irregular, pesa contra. Guerreiro de lata fica, evidentemente, com o roqueiro celeste que parece estar mais afim de comprar uma Harley Daividson e sair pilotado pelo Brasil. Ao menos respeite a camisa que lhe paga o salário, Sobis.

Mais uma vez, gostaria de lembrá-los, agora de 2009, quando a Raposa trouxe um empate jogando contra o Estudiantes em La Plata, o clima de festa que tomou conta dos cruzeirenses. Perdemos o título em casa, e de virada. NÃO ENTREM NO CLIMA DE JÁ GANHOU.

FLAMENGO 1 X 1 CRUZEIRO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7 de setembro de 2017 (Quinta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Renda: R$ 7.039.230,00
Público: 56.135 pagantes
Cartões amarelos: Everton (Flamengo) e Rafael Sóbis, Arrascaeta e Raniel (Cruzeiro)
Gols: FLAMENGO: Lucas Paquetá (30′ 2T);

CRUZEIRO: De Arrascaeta (28′ 2T).

FLAMENGO: Thiago, Rodinei (Vinícius Junior), Réver, Juan e Pará; Márcio Araújo (Gustavo Cuéllar), Willian Arão e Diego; Orlando Berrío, Lucas Paquetá (Gabriel) e Everton.

Técnico: Reinaldo Rueda

CRUZEIRO: Fábio, Ezequiel, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson, Robinho, Thiago Neves (De Arrascaeta) e Alisson (Rafinha); Rafael Sobis (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

Enquanto espera o longínquo dia 27 e setembro, a Raposa tem três compromissos pelo Brasileiro: A Chapecoense fora, O Bahia em casa e o Atlético GO também fora de casa. Seria importante o Cruzeiro tentar somar o maior número de pontos possíveis para ficar em situação confortável na Brasileiro. Até a próxima, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr