Que Celso Roth irá cair é fato

A sobrevida adquirida apenas adiou sua saída do comando técnico do Cruzeiro. Certo como o sol, amigos. É só questão da próxima derrota bizarra ou o conjunto ao final do ano. Apesar de ser a favor da saída, justiça seja feita: sacrificá-lo por inteiro é burrice. Ao treinador falta material humano para desempenhar melhor trabalho.

Eu não voto azul, VOTO AZUL

Eu sou CEC, por isso voto em X… Eu sou CAM, por isso voto em X… Duas motos, uma do lado da outra, torcedores dos maiores adversários em Minas, informavam nos seus adesivos que votavam no mesmo candidato. Os mesmos que não conseguem se olhar na cara, que nos últimos tempos impediram a realização do clássico com as duas torcidas, manipulados pela propaganda de ‘estamos todos unidos’.

Alex, o Talento Azul, é o aniversariante do dia

O ano de 1976 é marcado na história Celeste pela conquista da primeira Taça Libertadores. Coincidentemente, após o ano glorioso da conquista da primeira Copa Libertadores da América do Cruzeiro, mais precisamente no dia 14 de setembro de 1977, nasceu Alexsandro de Souza, ou, simplesmente, o Talento Azul. 

O enigma dos técnicos

O Cruzeiro está passando por uma crise de treinadores, onde em menos de quatro anos o clube trocou cinco vezes seu comandante: Adílson Batista, Cuca, Joel Santana, Emerson Ávila, Vagner Mancini e atualmente estamos com Celso Roth.

[Rádio] Guerreiros em Debate: Felipe, ponteiro do Sada/Cruzeiro 13/09/2012

[RÁDIO] Em mais um brilhante Guerreiros em Debate, nesta quinta-feira tivemos a presença de Filipe Ferraz @filipe7volei, ponteiro campeão Sul-americano pela equipe de vôlei do Sada/Cruzeiro. Foi um debate descontraído onde falamos sobre mais uma conquista da equipe, a motivção nos jogos, a liderança da equipe, novos desafios e é claro, falamos também sobre o momento da equipe de futebol que não vem nada bem.

Calma, é hora da China Azul ser inteligente

É oficial, ninguém aguenta mais o Roth. O time não coloca a bola no chão, não há jogadas ensaiadas, não existe um padrão tático e depois de cada derrota o treinador coloca a culpa somente nos jogadores por não conseguirem achar o famoso “equilíbrio” que ele parece pensar que irá surgir como mágica.