A série B é logo ali (Cruzeiro 0 x 1 Flamengo – Campeonato Brasileiro 8ª rodada)

Salve guerreiros! Verdadeiro show de horrores no Mineirão nessa noite de quarta. Um pesadelo que parece não ter fim, um time medíocre, medonho, sem gana durante todo primeiro tempo, e errático na segunda etapa. Fico compadecido dos mais de dezessete mil guerreiros das arquibancadas que saíram de casa nesta noite fria para assistir aquilo. Li muitas pessoas nas redes sociais falando dos muitos desfalques, mas isso evidencia o que estamos dizendo há varias semanas: Senão contratar bem, o ano será dificílimo. Para aqueles que pensam que vencer clássicos é o que importa, um aviso: O Vasco da Gama venceu todos ano passado, mas não evitou a degola. A série B é logo ali. O Cruzeiro precisa acabar com essa “maldição do Mineirão” que nos assola ultimamente, não vencemos ainda no estádio pelo Campeonato Brasileiro.

O jogo

O Cruzeiro fez um primeiro tempo medíocre mostrando muitos erros assemelhando-se ao time da era Deivid. Não ofereceu perigo ao Flamengo nesta etapa, aliás, chegou a ser dominado pelo Rubro Negro durante boa parte do primeiro tempo. Uma marcação baixa em demasia permitia ao time carioca empurrar a Raposa em seu campo conseguindo várias jogadas de bola parada, em uma delas, Réver sobe mais que toda a zaga celeste para marcar o único gol da partida e selar mais uma derrota em casa. A Raposa não teve reação alguma ao gol sofrido no final do primeiro tempo.

Paulo Bento tenta resolver tudo na base da conversa de vestiário, o que surte um certo efeito no segundo tempo. O time volta mais ligado, acua o Flamengo em seu campo, que com a vantagem, limita-se a defender. O problema é que sem um jogador para armar o time, o Cruzeiro não consegue acertar o último passe, abusa das jogadas aéreas, mas com uma zaga alta, o time carioca ganha praticamente todas as bolas.

As jogadas individuais são então a única esperança celeste, mas infelizmente, não há talento para isso em nosso elenco. Riascos tenta, mas apanha da bola. De Arrascaeta tenta, mas sofre forte marcação, entra Willian que em nada soma, mal se ouve a narração da partida falar seu nome. Nunca pensei que diria isso, mas Élber fez muita falta ontem. As substituições do Bento não fazem qualquer efeito e os chutes de fora, usados como último recurso, não tem qualquer direção.

Em suma, o elenco celeste é fraco demais! Que a esperança e as orações (para os da fé) sejam que no dia vinte de junho, reforços sejam anunciados. Caso contrário, preparem seus corações. Dois mil e dezesseis será um ano bem dolorido. Guerreiro de ouro vai para os mais de dezessete mil torcedores que encararam o frio para cantar os noventa minutos. Guerreiro de lata fica com o trio Gilvan, Vicintim e Scuro que estão escrevendo páginas patéticas na direção do clube que costuma escrever “páginas heroicas e imortais”.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO-MG 0 X 1 FLAMENGO-RJ

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 15 de junho de 2016 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Rogério Pablos Zanardo (SP)

CRUZEIRO: Fábio, Mayke, Bruno Rodrigo, Leo e Allano; Henrique, Ariel Cabral, Alisson e De Arrascaeta; Willian e Duvier Riascos. Técnico: Paulo Bento

FLAMENGO: Muralha, Rodinei, Léo Duarte, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Alan Patrick, Ederson e Everton; Felipe Vizeu. Técnico: Zé Ricardo

Agora teremos dois jogos em sequencia fora de casa, Grêmio e Ponte Preta. Como estamos pontuando mais fora que em casa, vamos em busca dos seis pontos. Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força.

por: Álvaro Jr