Raposa preguiçosa (Cruzeiro 0 x 2 Botafogo – Campeonato Brasileiro 24ª rodada)

Salve, guerreiros!

Quando será que jogadores profissionais e comissão técnica irão aprender que não se assenta sobre um resultado anterior para voltar a enfrentar o mesmo adversário? Pois foi exatamente isso que aconteceu neste domingo no Mineirão diante do Botafogo. Um time preguiçoso que entrou em campo achando que naturalmente construiria outro resultado positivo sobre o time carioca. O Botafogo tirou lições da goleada sofrida, o Cruzeiro não. Está certo que a arbitragem foi um caso à parte, mas não é praxe desta coluna se debruçar sobre o tema, a não ser em casos extremos. Além de tudo isso, a Raposa fez um jogo sem vontade, preguiçoso, como se pudesse vencer a partida quando quisesse, isso não existe no futebol. A derrota pode custar muito caro se considerarmos que temos pela frente nossa asa negra: o São Paulo.

O jogo

O resumo acima já define bem o que foi a partida de ontem. Apenas para clarificar o assunto, aos 40′ o Botafogo tinha mais finalizações que o Cruzeiro. No final da primeira etapa é que a Raposa conseguiu equilibrar esse quesito. A volta para o segundo tempo deveria nos dar esperança de um Cruzeiro melhor depois da conversa com Mano no vestiário, mas a exemplo da primeira etapa, um Botafogo bem postado impedia as investidas celestes.

O golpe fatal veio no gol de Canales em uma bobeira enorme de Edimar e Bruno Rodrigo que protagonizaram o famoso “deixa que eu deixo” e a bola sobrou livre para o primeiro gol do Botafogo. O caixão foi fechado obedecendo a “lei do ex”, Camilo marca um golaço livre de marcação na entrada da área após receber cruzamento originado na avenida Lucas.

Como dissemos nas colunas anteriores, o Cruzeiro está reagindo, mas a situação ainda não é confortável. Precisamos, entretanto, ter os pés no chão. A Raposa não se tornaria um time imbatível, importante é recuperar-se desta derrota encaixando mais uma boa série de resultados nos próximos jogos.

Guerreiro de ouro fica com De Arrascaeta que foi o único a demonstrar alguma criatividade. Guerreiro de lata fica dividido hoje entre as laterais, Edimar e Lucas ficaram olhando os gols adversários acontecerem e isso é inadmissível. Perdemos Ábila por suspensão, mas nunca é demais lembrar que ele volta contra o pequenino de Vespasiano, e os galináceos já estão se borrando pelas redes sociais (risos).

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 x 2 BOTAFOGO

Data: 11/09/2016 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 24ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 28.569 presentes
Renda: R$ 700.430,00
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR/Fifa) e Luciano Roggenbaum (PR)
Cartões amarelos: Ábila, Arrascaeta e Willian (CRU) Bruno Silva e Carli (BOT)
Gols: Canales aos 21 min e Camilo ao 34 min do segundo tempo

CRUZEIRO
Rafael; Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Lucas Romero, aos 13 do 2º), Robinho (Willian, aos 29 do 2º) e Arrascaeta; Rafael Sóbis (Alisson, aos 17 do 2º) e Ramón Ábila
Treinador: Mano Menezes.

BOTAFOGO
Sidão; Emerson Santos, Carli, Emerson Silva e Diogo Barbosa; Victor Luis (Gervasio Núñez, aos 41 do 2º), Bruno Silva, Dudu Cearense e Camilo; Neilton (Rodrigo Pimpão, aos 22 do 2º) e Sassá (Canales, no intervalo).
Treinador: Jair Ventura.

 Agora é juntar os cacos e tentar ao menos um empate em São Paulo, o que já seria um feito diante dos números negativos que temos diante do Tricolor Paulista. Até lá, China Azul. Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro jr