Raposa displicente (São Paulo 1 x 0 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 24ª rodada)

Salve, guerreiros!

Espero que esse seja o último título da coluna de pós-jogo nesse formato. Espero que na próxima rodada diante do Caloteiro Mineiro o Cruzeiro reencontre a vitória e os três pontos, pois estamos precisando. Espero poder voltar a escrever sobre um triunfo e consequentemente subida na tabela de classificação para poder vermos cada vez mais de longe o temido Z4. A única coisa que me tranquiliza é o fato de alguns times estarem muito pior que nós, mas não podemos descansar nisso. Acorda, Cruzeiro! A torcida está junto, fechada como sempre.

O jogo

Um jogo de muita marcação e equilíbrio. O time da casa era mais objetivo obrigando Rafael a algumas defesas, enquanto Denis seguia sem ser incomodado. Do meio da rua, Wesley sem marcação (esse tipo de falha não pode mais acontecer) acerta um petardo sem chance de defesa para o arqueiro celeste.

O gol sofrido desperta a Raposa, mas a ineficiência em furar a defesa tricolor dá as cartas e o Cruzeiro leva a desvantagem para o intervalo. Ao contrário da rodada passada, a conversa de vestiário liga a Raposa que busca o empate desde o primeiro minuto, cedendo ao São Paulo preciosos contra-ataques.

O Cruzeiro segue esbarrando na forte marcação do São Paulo, mas consegue criar algumas chances de perigo. O final dramático da partida reservava algumas fortes emoções, como o pênalti infantil cometido por Manoel. Como é de praxe no Cruzeiro, cartão vermelho direto deve render uma multa de parte dos vencimentos ao zagueiro. Rafael brilha defendendo a cobrança, parece disposto a não devolver a vaga ao Fábio após sua recuperação.

Logo em seguida, Alisson que entrara no decorrer da partida perde chance clara de frente com Denis, desperdiçando chance de empatar e trazer ao menos 1 ponto que já seria de grande ajuda. Guerreiro de ouro pertence ao fabricianense Rafael, pois além da defesa do pênalti, já havia feito ao menos duas importantes defesas. Guerreiro de lata fica com Manoel, sua expulsão por agredir infantilmente colega de profissão é inaceitável, Rafinha bem merecia a honraria pela improdutividade, mas Manoel “roubou-lhe” a cena.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 CRUZEIRO

Local : estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data-hora: 15 de setembro de 2016 (quinta-feira), às 21h
Árbitro : Diego Almeida Real (RS)
Auxiliares: Alexandre Pruinelli Kleiniche e José Eduardo Kalza (ambos do RS)
Público/Renda : 15.566 / R$ 361.885,00
Cartões vermelhos: Manoel (CRU)
Gols: Wesley 42′ 1ºT (1-0)

SÃO PAULO: Denis; Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Mena; Hudson (João Schmidt 37′ 2ºT), Thiago Mendes, Wesley, Cueva (Carlinhos 32′ 2ºT) e Kelvin (Luiz Araújo 49′ 2ºT); Andres Chávez. Técnico : Ricardo Gomes

CRUZEIRO: Rafael; Lucas (Ezequiel 7′ 2ºT), Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Lucas Romero, Rafinha (Marcos Vinícius 40′ 2ºT) e Robinho ; Willian e Rafael Sobis (Alisson 31′ 2ºT). Técnico : Mano Menezes

Agora é juntar os cacos de duas derrotas seguidas e enfrentar o time que compra mas não paga, fazer valer a tradição de batermos  em galinha e mudar o rumo em direção às vitórias. Vamos jogar sério, Cruzeiro! Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr