Queimando a minha língua!

Fala, nação!

No último dia 26 de Maio este colunista que vos fala postou o seguinte texto: “Gilvan, você não aprendeu nada?”. Nele, critico o, àquela altura, interesse em contratar o atacante Sassá, afastado do elenco do Botafogo por constantes atos de indisciplina. O jogador, que chegou a interessar vários clubes importantes do país, nunca me encheu os olhos e me trazia grande temor de ser mais uma bola fora da diretoria.

Porém, os dias passam e os jogadores ganham a oportunidade de nos calar fazendo seu trabalho com seriedade e qualidade. Nos últimos jogos, e durante todo este tempo de Belo Horizonte, tenho percebido um Sassá bastante diferente dos seus últimos dias de Botafogo. Não temos notícias de problemas extracampo, e o jogador vem desempenhando muito bem o seu papel dentro das quatro linhas.

Neste domingo de dia dos pais, almocei assistindo ao jogo com a minha família. No segundo gol do atacante comentei com um primo que estava ao meu lado: “Esse gol foi só dele. Todo dele!”. Robinho fez mais um de seus belos lançamentos, porém a bola acabou ficando com o zagueiro tricolor, Rodrigo Caio. Demonstrando raça, persistência e técnica apuradas, Sassá foi pra cima e desarmou o adversário, o que culminou com uma oportunidade cara a cara com o goleiro deles, que nosso jogador não desperdiçou. Golaço!

Mano Menezes adora um “falso 9”. Jogador que se movimenta mais que um centro avante “clássico”. Entretanto, os “falsos 9” que temos por aí podem até tocar mais vezes na bola, só que não sabem o que fazer com ela, e não são tão eficientes assim em seus fundamentos. Sassá vem demonstrando reunir boas qualidades, sendo um meio termo entre o falso 9 e o centro avante fixo. O jogador vem buscando maior movimentação, e finalizando com tranquilidade.

Aos poucos o jogador vai queimando a minha língua, e que bom que isso está acontecendo. Precisávamos bastante de uma peça ofensiva que reúna as qualidades que ele vem demonstrando. Me parece que essa carência em nosso elenco está definitivamente suprida. Que continue assim.

 

Por: Luciano Batista