Que venha o Grêmio!

Salve Guerreiros e Guerreiras! Que felicidade da china azul! Foi melhor do que todos esperavam. O Cruzeiro está nas semi-finais da Taça Libertadores 2009 após 12 anos. Depois de toda a apreensão em torno dessa partida tão importante, o time dominou o São Paulo em pleno Morumbi,  não deixando que eles tivessem sequer uma chance clara de gol durante os 90 minutos. Foi pra lavar a alma e dar uma resposta às recentes críticas acerca do desempenho da equipe fora de casa.

Tudo começou como prevíamos, o São Paulo tentando de cara o abafa com sua já manjada jogada aérea. Mal sabiam eles que a muralha 2, Leonardo Silva, não perderia sequer uma bola para o previsível ataque São paulino. Se firmeza foi a tônica da defesa, o meio de campo em alguns momentos mostrou ansiedade, errando saídas de bola com passes de 3 metros, foi o caso de Henrique e de Jonathan no primeiro tempo.

A primeira chance claro do Cruzeiro  foi com Kléber, em chute de fora da área, bem defendido pelo goleiro Denis diga-se de passagem. O time conseguiu equilibrar a posse de bola, cozinhando o adversário, até que o volante Eduardo Costa que já estava amarelado, recebeu o segundo cartão amarelo e em seguida o vermelho, deixando seu time em péssima situação no fim do primeiro tempo.

Na volta para o segundo tempo o Cruzeiro, por ter um a mais, soube tocar a bola, mesmo levando sufoco em alguns momentos, quando o ataque do São Paulo conseguiu chegar mano a mano com nossa defesa, mas em nenhuma oportunidade conseguiram finalizar assustando Fábio.

Aos 21 do segundo tempo, ele, o sempre contestado Henrique, acertou um chute, daqueles que todo mundo diz: “Nunca mais acerta”! Alá Nelinho, a bola fez uma curva sensacional, e o goleiro Denis nada pode fazer. Explosão de alegria na imensa torcida cruzeirense que se fez presente no Morumbi, e explosão de alegria do time em campo, que sabia que naquele momento, só perderia a vaga se fosse muito incompetente.

Aos 35 minutos após chute de Bernardo, André Dias que já tinha amarelo, cortou a bola com a mão, o juiz marcou pênalti, deu o segundo amarelo e o vermelho. Kléber bateu com perfeição fechando o placar.

O Cruzeiro poderia ter feito no segundo tempo uma goleada histórica sobe o São Paulo, mas foi displicente e não converteu seu amplo domínio em mais gols.

Final, Cruzeiro 2, São Paulo 0, com uma atuação invejável, digna de “Aula de Futebol” pra Muricy ver…

E mais uma vez provamos, que quando houver vontade e raça, o Cruzeiro dificilmente será superado em condições normais por algum adversário.

Fica essa cobrança, para que os atletas dêem o mesmo valor a todas as competições que disputar.

Agora é lotar o Mineirão na próxima quarta-feira, para a primeira partida das semi-finais contra o Grêmio em Belo Horizonte, e tomara que com a mesma postura, consigamos mais uma grande vitória. Antes temos outro Grêmio, o Barueri de SP no domingo pelo brasileiro, onde o Cruzeiro precisa se reabilitar para não ficar na tábua de baixo da tabela, e se manter próximo aos líderes. Deve ser um mistão, até mesmo pelo grande número de jogadores no DM, mas quem puder deve ir pretigiar o time após essa grande vitória.

Parabéns Cruzeiro!
Parabéns Adílson!
Parabéns torcida que foi ao Morumbi!
Parabéns a todos nós que sofremos ouvindo pelo rádio ou vendo pela TV!!!
E que venha o Grêmio!!!

“Explode coração, na maior felicidade…É lindo o meu Cruzeiro, contagiando e sacudindo essa cidade!!!”

Grande abraço!
Até a próxima!