Que a tradição retorne ao Cruzeiro

Salve, salve guerreiros. Depois de dois anos sem brigar para conquistar nenhuma competição que disputou, os planos para o Cruzeiro em 2017 devem ser diferentes. Ao menos é o que espera o torcedor. Entretanto, já calejado pelos erros bisonhos cometidos pela diretoria em 2011 (ainda com Zezé Perrella), 2012 e 2015/2016, me sinto na obrigação de cobrar uma postura séria e coerente de quem detêm a autoridade no clube.

Em entrevista concedida a jornalistas nesta sexta feira (23/12), o Presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, comunicou que está em estágio avançado de negociação com um jogador brasileiro que estava atuando fora do país. Em resposta, vos digo que não quero saber o que o presidente está fazendo, quero que faça e pare de ficar de MIMIMI. Chega de historinha pra boi dormir, queremos atitudes, se é pra negociar que vá e resolva, não fique esperando a boa vontade, muito menos criando expectativas no torcedor para depois nos frustrar com um novo Diego Arias.

Se em outros tempos os problemas eram financeiros, agora o problema é a inercia desta gestão fadada ao amadorismo. Foi o que mais transpareceu neste “Comunicado”. Ficou mais evidente a vontade de aparecer e tentar dar uma limpada no filme, já torrado com a torcida, do que trabalhar efetivamente na montagem de um grande time. E este amadorismo se reflete, não somente, mas especialmente, nos departamentos de comunicação e marketing, que parecem agir apenas apagando incêndios e tentando minimizar os problemas.

O Cruzeiro é gigante e assim precisa agir como tal. Deixar de ser amador é a primeira atitude de pessoas sérias e que buscam o melhor para o Maior de Minas. Apesar do amadorismo no futebol, temos dentro do clube um caso de sucesso que deveria ser bem observado e adaptado, o Sada Cruzeiro, que se faz gigante pelas razões em que o departamento de futebol mais peca: organização, planejamento, renovação adequada dos atletas sempre buscando títulos e mantendo o alto nível de competitividade, sem medir esforços para que os resultados apareçam.

A gestão do futebol, onde obviamente as cifras são infinitamente superiores, parece estar mais empenhada em conquistar um Dourado nos Poções de Sabinópolis, que uma taça pro Barro Preto. Portanto, não queremos anúncios bombásticos de presentes de natal ou de aniversário do clube. Queremos trabalho sério, com diretoria que sabe o que quer e tenha consciência de seus atos, tanto no mercado de transferências quanto na administração diária da instituição.

A hora do torcedor Cruzeirense cobrar é agora e não vou mais me esconder esperando uma atitude de quem não tem. Dr. Gilvan, como já havia cobrado em outras oportunidades, participe da #RadioGDG, debata com o torcedor cruzeirense e mostre suas ideias, como tanta gente ligada ao clube já o fez. Honre suas calças e faça do Cruzeiro o GIGANTE temido mundialmente que SEMPRE foi.

Por: Vander Araujo