Que Cruzeiro lindo! (Vitória 1 x 1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 36ª rodada)

Salve, guerreiros!

Agora sim! Um Cruzeiro lindo de ver jogar, ofensivo, propositivo, buscando a vitória sobre o Vitória quase que durante toda a partida. Mesmo desfalcado de Thiago Neves e Robinho, a Raposa não se deu por vencida na tarde deste domingo no Manoel Barradas. Só um detalhe não permitiu o Cruzeiro trazer três pontos na bagagem de volta a Belo Horizonte: a arbitragem. Os amigos leitores já perceberam que alguns árbitros tem números incríveis de marcação de pênaltis e sob seu trabalho triunfos celestes são raros? O Sr. Luiz Flávio de Oliveira é um deles. “Mas vencemos a Copa do Brasil com ele apitando.” O Cruzeiro não venceu a partida, sim a disputa de pênaltis. Entretanto, os amigos leitores já estão acostumados com o fato de que este colunista não tem por costume não reclamar de arbitragem, mas, não posso deixar ao menos de questionar: para que serve o auxiliar atras da linha de fundo? Vou deixar a resposta por conta de vocês.

O jogo

O Cruzeiro começa a partida bem burocrático, bem ao estilo “Manobol”. Mas ao levar o gol em uma penalidade no mínimo discutível, se lança em busca do empate jogando uma das partidas mais legais no ano. Um prato cheio para quem gosta de uma Raposa ofensiva.

Primeiro tempo

Até os 20′, o Cruzeiro limitou-se a defender e sair apenas na boa. Sempre atras da linha da bola, a Raposa sedia campo ao adversário que não tinha muita eficiência em penetrar a defesa celeste. Foi aí que a arbitragem começou o serviço da tarde, ou não. Alguns amigos no micro-blogue Twitter afirmaram que Bryan não tem como tirar a mão fora, outros disseram que o atleta adversário chutou a bola propositadamente, o que desconfiguraria a infração, alguns concordaram com a marcação, enfim, o fato é que a desvantagem no marcador atirou o Cruzeiro para cima do Vitória. Élber sofreria uma penalidade, no meu entendimento, não foi muito diferente do pênalti de Henrique cometido contra o Avaí na última quarta. Entretanto, a arbitragem nada marcou.

Pouco tempo depois, Henrique marcaria o gol de empate, mas, o auxiliar atras do gol, que é o dinheiro mais mal gasto pela CBF, não assinalou o quique da bola dentro do gol após explodir no travessão. Clamamos pela tecnologia, chip na bola, árbitro de vídeo, qualquer coisa que minimize erros capitais como o de ontem. O empate àquela altura na partida, poderia significar um resultado bem diferente, mas, aí, estamos falando do “se”, o que não garante nada.

Segundo tempo

O Cruzeiro segue a toada em busca do gol de empate, e o time de Salvador tenta usar a arma celeste, o contra-ataque. Entretanto, os jogadores celestes, que nem parecem ter vencido a Copa do Brasil outro dia, correm e recompõem a defesa como meninos, que vigor! Há algumas semanas, alguns amigos assíduos aqui da coluna não entenderam que era isso que o colunista cobrava.

O empate veio em uma improvável jogada de peixinho de Alisson com assistência de Bryan. O lateral deve aproveitar a saída de Diogo Barbosa para tentar se firmar de vez. A sequência de partidas pode fazer bem ao atleta. Guerreiro de Ouro fica com Léo. Seu retorno voltou a dar ao Cruzeiro segurança defensiva. Guerreiro de lata, sempre dele, Élber. É entrar em campo ele fica com o “prêmio”.

A penúltima rodada será contra o Vasco da Gama no Mineirão. Sei que o público anda desinteressado, reflexo do time em algumas partidas, mas, se você puder, vá ao estádio. Demonstre aos Guerreiros dos Gramados que estaremos juntos em 2018.

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA 1 X 1 CRUZEIRO

Local: Barradão, Salvador (BA)
Data: 19 de novembro de 2017, domingo Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (ambos SP)
Público: 13.095 pagantes
Renda: R$ 140.774,00
Cartões Amarelos: Kanu, Neilton e Yago(Vitória); Alisson(Cruzeiro)
Cartões Vermelhos: Nenhum
GOLS:
VITÓRIA – David, aos 20 minutos do primeiro tempo
CRUZEIRO – Alisson, aos 30 minutos do segundo tempo

VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Wallace Reis, Kanu e Geferson; Fillipe Soutto(Ramon), Uillian Correia(Neilton), José Welison e Yago(André Lima); David e Tréllez. Técnico: Vagner Mancini

CRUZEIRO: Fábio; Rafael Galhardo(Judivan), Murilo, Léo e Bryan; Henrique, Lucas Romero, Alisson, Rafinha(Messidoro) e Arrascaeta; Jonata(Élber). Técnico: Mano Menezes

Como já escrevi acima, o Vasco será nosso último adversário em casa, prestigie.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr