(Quase) convenceu, mas não venceu (Cruzeiro 1x1 Santos – Campeonato Brasileiro 2017)

[Quase] convenceu, mas não venceu (Cruzeiro 1×1 Santos – Campeonato Brasileiro 2017)

Salve, China Azul!

Cruzeiro e Santos se enfrentaram no Mineirão, em confronto válido pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um time mesclado e após um primeiro tempo completamente apático, a Raposa voltou para a etapa final com intensidade, disposição e volume de jogo. Todavia, mesmo conseguindo prender a equipe adversária no seu campo de defesa, e não oferecendo nenhuma chance de gol nos últimos 45 minutos, a equipe celeste não conseguiu os três pontos.

O Cruzeiro iniciou a partida com a maioria da equipe que derrotou o Grêmio na última quarta, pela Copa do Brasil. Se esperava que a equipe conseguisse controlar o Santos mantendo a posse de bola, o que não aconteceu, graças a alta taxa de erro de passe no ataque celeste. A única chance clara do primeiro tempo veio com um arremate de fora da área de Thiago Neves, no qual Vanderlei fez boa defesa. A partir daí, a equipe santista tomou o controle do jogo, usando e abusando das infiltrações em velocidade com os pontas. Foi numa jogada dessas que Copete recebeu livre na direita e mandou para o meio da área, onde Bruno Henrique empurrou para as redes. Mesmo com a desvantagem, a Raposa não conseguiu ser incisiva, e até correu riscos de sofrer o segundo gol.

Para a segunda etapa, o Cruzeiro precisava fazer algo completamente diferente do que havia feito até então. E fez. A equipe celeste, já no início, dava sinais de grande melhora, praticando um futebol semelhante ao que foi apresentado no segundo tempo da semifinal de quarta. Mesmo encontrando dificuldades com a boa marcação armada pelo técnico Levir Culpi, o Cruzeiro não desistiu. A equipe foi valente, mostrou muita disposição; o empate já era questão de tempo. Apesar da raça apresentada, o gol saiu em uma jogada completamente técnica e bem trabalhada: lançamento primoroso de Lucas Silva, infiltração e belo arremate de Rafinha. Um verdadeiro golaço. A equipe celeste não se acomodou com o empate, e após a entrada do uruguaio Arrascaeta conseguiu criar, pelo menos, duas boas chances para terminar à frente do placar. Do outro lado, porém, estavam inspirados o goleiro Vanderlei e o zagueiro Lucas Veríssimo, que conseguiram manter o empate no placar. Ao final, 1×1 e aplausos da China Azul.

É bem verdade que o ataque celeste, como um todo, não fez uma boa partida. Thiago Neves, Rafinha (apesar do gol), Rafael Sóbis e Sassá não se encontraram durante os 90 minutos, resultando na dificuldade que foi criar oportunidades de gol. Dos quatro, o mais abaixo foi Thiago, e como ele tem ditado o ritmo da equipe do Cruzeiro, quando ele vai mal, as coisas tendem a ser mais complicadas.

O destaque fica para a atuação de Lucas Silva. O volante, que consegue alternar bons e maus momentos dentro de uma mesma partida, hoje conseguiu ser mais contundente, principalmente no segundo tempo. Foi dele a assistência para o gol de Rafinha, e é dele o Guerreiro de Ouro. Por outro lado, o zagueiro Digão demonstrou muita insegurança, principalmente no primeiro tempo. Os recuos ruins, passes errados e uma tentativa fracassada de drible dentro da própria área foram o suficiente para que ele recebesse o famigerado Guerreiro de Lata. Acredito que a exibição do zagueiro tenha mais a ver com falta de ritmo do que com qualidade técnica, para ser honesto. Mas hoje ele não conseguiu escapar.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 1 X 1 SANTOS

Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Anderson Daronco (RS/FIFA). Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS).

Público: 12.055

Cartões amarelos: SANTOS: Lucas Veríssimo, David Braz.

GOLS: CRUZEIRO: Rafinha, aos 9 do 2T. SANTOS: Bruno Henrique, aos 21 do 1T.

CRUZEIRO: Fábio; Ezequiel, Murilo, Digão e Diogo Barbosa; Hudson, Lucas Silva (Nonoca), Thiago Neves (Arrascaeta) e Rafinha (Élber); Sassá e Rafael Sóbis.

Técnico: Mano Menezes.

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Renato (Léo Cittadini) e Lucas Lima; Copete (Nilmar), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Kayke).

Técnico: Levir Culpi

Mesmo com a pausa das competições nacionais para a disputa dos jogos das Eliminatórias, o Cruzeiro volta a campo na quarta-feira, pela Copa da Primeira Liga. Em jogo único, decide vaga na semifinal da competição, mais uma vez, contra o Grêmio. Para esta partida, o técnico Mano Menezes não deve utilizar seu elenco principal, que descansa para voltar a campo no dia 7 de setembro, pela final da Copa do Brasil, contra o Flamengo.

Guerreiro dos Gramados: nossa torcida, nossa força!

Por: Pedro Henrique Paraíso