Pronto pra ser campeão (São Paulo 0 x 2 Cruzeiro – Copa do Brasil)

Salve, guerreiros!

Não! Este colunista não está delirando, menos ainda afirmando que a Raposa já pode receber as taças, entretanto, a maturidade do time celeste sob a batuta de Mano Menezes é notória. Nesta quinta-feira diante de um Morumbi lotado, e de um São Paulo que, não é a toa está nas semifinais do Paulistão, a Raposa impôs seu jogo. Como já dissemos algumas colunas atrás, esse será o futebol celeste durante todo esse dois mil e dezessete. Um time de solidez defensiva impressionante (tem uma das defesas menos vazadas no ano), ao mesmo tempo que vai aumentando seus números no ataque também (figura na lista dos times brasileiros que mais marcaram gols. Sem mais delongas, vamos à analise.

O jogo

Não trata-se apenas de uma retranca. O Cruzeiro teve um rendimento espantoso diante do São Paulo no quesito matar suas jogadas. Entretanto, o alto número de erros de passe celeste não permitiram que os contra-ataques fossem aproveitados. A bola parada resolveu a parada.

Primeiro tempo

O time da casa buscou as ações, como era de se esperar. A Raposa bem plantada na defesa ia inibindo as iniciativas do Tricolor. O São Paulo não conseguia traduzir em oportunidades de gol os números de posse de bola. O Cruzeiro investiu em manter Ábila “trombando” com a defesa são paulina, mas o zagueiro Maicon estava em noite inspirada. O zero a zero no marcador traduz as as pouquíssimas chances criadas de ambas as partes, apesar da posse paulista como dissemos acima.

Segundo tempo

As coisas ficaram mais quentes nessa etapa da partida. O São Paulo voltou para decidir a partida, mas, foi Thiago Neves que deu o tom. O meia fez o que tinha que fazer. Muitos esperam dele um futebol bonito, com uma armação funcional, belos passes e finalizações, mas, no pragmatismo adotado por Mano, isso não tem muito lugar. Thiago fez aquilo que dele se espera, em duas bolas, decidiu a partida, na primeira contando com a ajuda de um velho conhecido nosso: Lucas Pratto.

Portanto, Thiago Neves fica com nosso Guerreiro de ouro de hoje. Já o Guerreiro de lata, vai ficar sem dono. O Comprometimento da equipe estrelada na defesa não nos permite eleger ninguém à honraria (Claro, o Élber não entrou).

O time de Mano tem cara de copeiro. Há bastante tempo não vemos um Cruzeiro assim. Volto a afirmar, está pronto para ser campeão. Se vai ser, são outros quinhentos. Muitos fatores podem influenciar nisso. O fato é que, mesmo em amadurecimento, o Cruzeiro já começa a colher frutos da filosofia implantada pelo seu treinador. O jogo de ontem demonstra isso. A Raposa foi madura para suportar a pressão, impedir que o adversário impusesse seu jogo e de quebra usou muito bem a bola parada.

A fatura, obviamente, não está liquidada, mas a classificação ficou bem encaminhada, ninguém pode negar. Agora é voltar a atenção para as semifinais do “Queijão 2017” onde enfrentaremos o América.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0 X 2 CRUZEIRO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 13 de abril de 2016, quinta-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Anderson Daronco

Assistentes: Rafael da Silva Alves e Leirson Peng Martins

Cartão Amarelo: Ariel Cabral e Ábila (Cruzeiro); Thiago Mendes (São Paulo)

Gols:

CRUZEIRO: Lucas Pratto (contra), aos 16 minutos do 2º tempo; Hudson, aos 24 minutos do 2º tempo

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini (Araruna), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Cícero (Gilberto) e Thiago Mendes; Wellington Nem (Thomaz), Luiz Araújo e Lucas Pratto

Técnico: Rogério Ceni

CRUZEIRO: Rafael; Mayke, Leo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson (Lucas Romero), Ariel Cabral, Rafinha, De Arrascaeta e Thiago Neves (Alisson); Ramón Ábila (Raniel)

Técnico: Mano Menezes

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr