21 jan Presidente Dilma veta parcelamento de dívidas dos clubes de futebol


Salve, Salve, China Azul! O texto de hoje não será especificamente sobre o futebol do atual bicampeão brasileiro, mas sobre outro assunto de grande importância para estabilidade do Clube: dívidas. Infelizmente o Cruzeiro, assim como quase todo clube no futebol brasileiro, está devendo para o governo federal.

Na última segunda-feira (19), a presidente Dilma vetou o artigo 141 da Medida Provisória 656 que previa parcelamento das dívidas dos clubes com o governo em até 240 vezes, com 70% de desconto em multas e 50% de desconto em juros. Uma das afirmativas dela foi que não haveria nenhuma contrapartida dos clubes quanto à responsabilidade financeira.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Independente de sua posição política há de concordar que o veto foi uma ação certa da presidente. Este artigo seria do tipo que beneficiaria o infrator. Já não é de hoje que os clubes brasileiros fazem loucuras financeiras e são irresponsáveis. E não apoio o veto pelo fato do Cruzeiro ser o segundo que menos deve.

De acordo com o portal Folha de São Paulo, os (considerados) 12 maiores clubes do futebol brasileiro acumulam dívidas de R$ 1,59 bilhão com a União. Deste valor, apenas 1,2% é do Cruzeiro, ou seja, o Clube deve “apenas” R$ 19,7 milhões. O clube mais devedor é disparado o Atlético-MG com R$ 282,6 milhões, mas isso a mídia em geral não comenta! O São Paulo é o que menos deve e o Cruzeiro é o segundo.

Ainda segundo a publicação, a dívida de todos os clubes brasileiros é de R$ 3,7 bilhões e o valor dos 12 grandes corresponde a mais de 40% delas. A medida foi contra a posição da CBF que queria “começar tudo do zero” e a favor do movimento “Bom Senso Futebol Clube”.

Recentemente a CBF incluiu no Regulamento Geral de Competições punição e até rebaixamento, em casos mais graves, dos clubes que tiverem má gestão financeira. Apesar das dívidas, o Cruzeiro mantém salários em dias. Desta forma, já pode se considerar um dos favoritos ao título brasileiro. Se “esta lei pegar” será um salve-se quem puder e vencerá o sobrevivente.

Por: Sidney Junior


Deixe seu comentário, curta e compartilhe