29 jan Pré-jogo: Paraná x Cruzeiro (Despedida melancólica)


O Cruzeiro: despede-se da temporada 2020 nesta sexta-feira em um melancólico confronto contra o Paraná que não modifica em nada o panorama das duas equipes na classificação final da Série B.

Podendo variar entre a décima e a décima quarta colocação ao fim do campeonato, a Raposa mandará a campo um time bastante modificado, especialmente em função de suspensões e da liberação de quem não seguirá no clube na próxima temporada.

Novamente comandado por Célio Lúcio, já que Felipão acertou sua saída do clube, a equipe celeste deve ter, inclusive, improvisações como Adriano atuando como zagueiro e Rafael Luiz no meio-campo.

O Paraná: chegou a sonhar com o acesso, mas chega à última rodada já rebaixado para a Série C e vendo ruir o projeto de reassumir algum protagonismo em nível nacional como nos anos 90 e início do século XXI.

Com uma campanha desastrosa no returno, o time paranista teve decretada matematicamente a sua queda na derrota para o lanterna Oeste na última rodada. A terceira seguida que confirma o péssimo momento da equipe.

Comandada por Márcio Coelho, a equipe bicolor tem poucos nomes de destaque e não poderá contar com o lateral-esquerdo Jean Victor, especulado como possível reforço da Raposa para a próxima temporada.

Paraná: Renan; Kaio, Rafael Lima, Hurtado e Juninho; Karl, Meritão (Kazu) e Renan Bressan; Paulo Henrique, Bruno Lopes e Thiago Alves. Téc: Márcio Coelho.

Cruzeiro: Lucas França; Raúl Cáceres, Adriano, Paulo e Matheus Pereira; Jadson, Rafael Luiz e Giovanni; Welinton, William Pottker e Rafael Sobis. Téc: Célio Lúcio.

Horário e Local: Durival Brito, Curitiba (PR). Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021 às 21:30.

Motivo: 38ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B.

Arbitragem: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS) auxiliado por Leirson Peng Martins (RS) e Lúcio Beiersdorf Flor (RS)

Transmissão: PFC.

Retrospecto: Cruzeiro e Náutico já se enfrentaram 12 vezes pelo Brasileirão com a Raposa atuando como mandante e o retrospecto é amplamente favorável ao time celeste.

Foram 10 vitórias azuis e 2 empates, com o Timbu desconhecendo o gosto de vencer o Cruzeiro em seus domínios. O Cruzeiro marcou 30 gols e sofreu apenas 7.

Por: João Henrique Castro

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe