Pré-jogo: Flamengo x Cruzeiro (Primeiro capítulo da decisão)

O Cruzeiro: vai ao Maracanã com o intuito de emular a trajetória da decisão da Copa do Brasil de 2003 e, mais uma vez, faturar a competição em cima do Flamengo.

A campanha até aqui reservou duros confrontos contra São Paulo, Chapecoense, Palmeiras e Grêmio. Situações que fizeram a equipe adquirir casca, força e confiança para esta grande final.

Na escalação , Mano Menezes carrega apenas uma dúvida para o vestiário. Rafael Sobis é o mais cotado, mas Raniel poderá iniciar a partida no comando do ataque.

O Flamengo: busca se vingar da final de 2003 e se apoia no triunfo sobre a Raposa nas oitavas-de-final de 2013 para angariar forças para o confronto decisivo.

Ao contrário daquela ocasião, porém, a equipe rubro-negra não terá a força da sua torcida e do Maracanã no duelo de volta, mas sim no primeiro confronto. Devido a isso, a pressão nos primeiros 90 minutos será grande para aproveitar o fator campo e poder fazer um bom resultado.

Sem Guerrero e Viseu, Reinaldo Rueda deve lançar o jovem Lucas Paquetá no comando do ataque. No gol, Thiago deve herdar a vaga do questionado Alex Muralha.

Flamengo: Thiago; Rodinei, Rever, Juan e Pará; Cuellar, Willian Arão e Diego; Everton, Berrío e Lucas Paquetá. Téc: Reinaldo Rueda.

Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson, Robinho e Thiago Neves; Alisson e Rafael Sobis (Raniel). Téc: Mano Menezes.

Horário e Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ). Quinta-feira, 07 de Setembro de 2017 às 21:45.

Motivo: Jogo de ida da Final da Copa do Brasil.

Arbitragem: Marcelo Aparecido de Souza (SP), auxiliado por Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)

Transmissão: Globo, Sportv e FoxSports. O Guerreiro dos Gramados acompanha a partida em tempo real em seu canal oficial no Facebook e, principalmente, no twitter @GdosGramados.

Retrospecto: Cruzeiro e Flamengo se enfrentaram quatro vezes no Maracanã pela Copa do Brasil e a vantagem rubro-negra é apertada.

Foram 3 empates em 1×1 (Quartas de 1995, Semi de 1996 e Final de 2003) e um triunfo rubro-negro por 1×0 (Oitavas de 2013). No agregado, a Raposa levou vantagem em 1996 e 2003, enquanto o Urubu ficou com a vaga em 1995 e 2013.