Poupar para avançar: o desafio de Mano Menezes em 8 dias

Salve Nação!

Os três próximos jogos do Cruzeiro, contra Fluminense e Avaí, fora de casa pelo Campeonato Brasileiro, e contra o Palmeiras, no Mineirão, pela Copa do Brasil, apontam uma sequência difícil, mas que pode ser saudável para a equipe comandada pelo treinador Mano Menezes.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro poderá chegar à quarta colocação no domingo, caso pontue seis ou quatro pontos nas partidas contra Fluminense e Avaí. A ascensão na tabela, no entanto, não depende diretamente só do bom desempenho do Cruzeiro. É preciso que Santos, Flamengo, Palmeiras, Botafogo e Sport, que estão à frente do Maior de Minas na tabela, tropecem nas duas próximas rodadas.

Na Copa do Brasil, o cenário é inverso. O Cruzeiro enfrentará o Palmeiras na partida de volta das quartas de finais na próxima quarta-feira podendo vencer por 1×0 para se classificar às semifinais. O que não garante, porém, uma tranquilidade para a equipe, tendo em vista o empate de 3×3 na primeira partida.

Se dentro de campo os jogadores terão a responsabilidade de vencer nas duas competições, fora dele, o treinador Mano Menezes precisará poupar jogadores, principalmente, nas duas partidas pelo Campeonato Brasileiro. Isto, porque, ao término da sequência de três jogos, em um intervalo de 8 dias, o Cruzeiro terá completado 51 confrontos na temporada 2017, e o peso no calendário já é considerado um rival, tendo em vista que já acarretou em diversas lesões durante a temporada.

Pois bem, a mescla nas escalações, acredito, deva acontecer, mas não da maneira que penso ser certa. Ao que tudo indica, o Cruzeiro deverá entrar em campo contra o Fluminense nesta quinta-feira com a equipe titular. Apenas Rafael Sóbis, suspenso, não deve atuar e dará lugar ao recém contratado Sassá.

Caso se confirme e Mano Menezes opte por poupar apenas na partida contra o Avaí, no próximo domingo, penso que o treinador voltará a repetir o mesmo erro cometido no jogo contra a Ponte Preta, pela 9º rodada do Brasileirão, quando a equipe foi à Campinas, às vésperas do primeiro jogo contra o Palmeiras, com um time completamente reserva, perdido e sem entrosamento e acabou perdendo por 1×0.

Alguns atletas como Léo, Diogo Barbosa, Lucas Romero, Thiago Neves e Alisson, devem ter uma atenção maior da comissão técnica celeste e do departamento de fisiologia do clube, devido à presença constate no time titular durante os 90 minutos das partidas.

Sobre o departamento de fisiologia, inclusive, é válido destacar que durante o Mídia Day realizado com Eduardo Pimenta, fisiologista do clube, foi repassado ao grupo de torcedores presentes que a comissão técnica recebe os testes de CK, que mede o nível de desgaste físico dos jogadores, e que cabe ao treinador escalar ou não determinados atletas.

Penso que é necessário poupar e, acima de tudo, rodar o elenco de maneira consciente, mantendo uma estrutura mínima e utilizando as peças que vêm entrando no decorrer das partidas e apresentando um bom futebol, como Nonoca, Lucas Silva, Sassá e Élber. Não nos esqueçamos, também, que no elenco temos jogadores que só podem atuar pelo Brasileirão como o próprio Sassá, Rafael Marques e o zagueiro Digão, apresentado nesta quinta-feira pelo presidente Gilvan de Pinho.

Que as mudanças ocorram, mas que o bom futebol apresentado nos últimos jogos prevaleça, para que o Cruzeiro siga estável e avançando na temporada.

Por: Simon Nascimento