Foto: VipComm

Parte 1: Um mundo de apostas?

Eu, João Cleido Jr (@joaocleido), debati no Twitter com Paulo Costa (@paulocosta_), sobre o real motivo da atual situação do Cruzeiro. Para o Paulo foram as apostas erradas da diretoria nas contratações , isto é, nos jogadores e técnicos.

Você concorda?

– Eu não.

Neste e nos dois próximos textos que serão publicados aqui no Guerreiro dos Gramados, vou mostrar o que penso, não querendo que você tenha a mesma opinião que a minha, longe disto, mas sim que você repense, refute ou incorpore o meu pensamento ao seu.

Então, vamos lá!

O que é uma aposta errada?

Apostas implicam em riscos. Só se sabe se ela estará certa, ou não, com o decorrer do tempo, isto é, quando aquilo que prevíamos se concretiza em algo positivo ou negativo de acordo com as nossas expectativas.

Foto: VipCommQuem aqui apostaria em jogadores como, Ramires, Marquinhos Paraná e Henrique, antes de vestirem a camisa estrelada?

Sinceramente?

– Acho que ninguém.

E o que quero dizer com isto? Que fica mais fácil apostar naquele que é consagrado, tem história e nome. Fato.

Agora te pergunto, em um exercício de reflexão:

– Quem você iria buscar no aeroporto no começo do ano para disputar a Copa Libertadores da América, por exemplo?

Wallysson, Adriano “Imperador” ou Luís “Fabuloso” Fabiano?

Antes da sua resposta, faço uma nova pergunta:

– Quantos gols marcaram cada um destes atacantes até o presente momento?

Foto: VipCommAcho que a resposta é fácil, pois os dois monstros consagrados estão parados e Wallysson agora está, infelizmente, na mesma situação.

O que quero provar com isto?

Fazer fé em grandes nomes ou em desconhecidos é investimento de risco.  Ele só será menor ou maior de acordo com o seu poder financeiro.  Mas necessariamente isto não implica em sucesso. Ninguém sabe o que vai acontecer. Não existe administrador de empresa, clube e mercearia que faça exercício de futurologia ou clarividência.

Existem inúmeros fatores para se contratar e outros inúmeros que aparecem após a contratação. Exemplos são fartos: talento, desempenho, empenho, maturidade, adaptação, contusão, potencial de grupo, forma física, dentre outros.

Este meu raciocínio, dentro das suas peculiaridades, é o mesmo para técnicos. Tivemos alguns consagrados que passaram aqui e não ganharam nada e outros com menor currículo que se deram muito bem.  Acredito que muitos se surpreenderão em saber que o técnico Pinheiro foi o técnico campeão da Copa do Brasil do Cruzeiro em 1993, ou que Marco Aurélio é o grande responsável pelo mesmo título em 2000.

Não te convenci, então que tal o talento azul? O grande Alex!

Foto: Divulgação/InternetAlex na sua primeira passagem em 2001 teve aproveitamento pífio, e saiu daqui praticamente pelas portas do fundo e foi para o Palmeiras. Só depois com a contratação de Luxemburgo que ele retornou ao Clube para formar o time Campeão de 2003.

Abraços a todos.

Parte 2: O que você enxerga para o Cruzeiro no atual momento?