Para o alto e avante (Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras – Campeonato Brasileiro 11ª rodada)

Salve guerreiros.

Que jogo, senhores! Quem é essa Raposa que estamos vendo em campo? Um time valente, com raça, determinado em busca do placar. O que uma vitória por goleada no meio de semana e a recente contratação de jogadores talentosos não fazem? O clima está melhor, as negras nuvens que pairavam em nosso céu encobrindo a visão das cinco estrelas foram varridas, e arrisco a dizer após essa décima primeira rodada que em dezembro estaremos brigando pelo penta. Após duas vitórias subimos da lanterna para a nona posição, podemos subir ainda mais com a estreia dos reforços já contratados, sem falar que o Cruzeiro ainda trabalha para suprir as duas laterais. Conseguindo, seremos o time a ser batido novamente depois de dois mil e quatorze.

O jogo

Começo de jogo eletrizante no Mineirão. Em falha de Bruno Rodrigo, o Palestra paulista abre o placar, mas o empate com Willian não demora a acontecer. Após o empate a Raposa envolve totalmente o Palmeiras. Paulo Bento dá uma aula em Cuca demonstrando que veio para o Cruzeiro para um projeto longo, sério e se Deus permitir, com muito trabalho (o que não tem faltado), vencedor. A Raposa é valente, não tem bola perdida, divididas fortes, mas leais, tanto que até os 30 minutos apenas três faltas haviam sido assinaladas. Foi um belo espetáculo com duas equipes que jogam futebol.

Vem a segunda etapa e o Cruzeiro logo faz o gol da virada com Willian, mais uma vez. Uma jogada rápida com participação efetiva do lateral Mayke que parece estar reencontrando seu futebol, foram duas boas apresentações do lateral direito. Entretanto, Bryan na lateral esquerda não tem feito boas apresentações e seu setor anda ficando muito exposto aos adversários. Talvez por isso Bento esteja “segurando” mais o lateral deixando Alisson, William e quando entra, Allano aberto pelo setor esquerdo. O Palmeiras então vira só pressão, mas sem efetividade, enquanto a Raposa vai desperdiçando seguidos contra-ataques com Willian, Alisson (que tenta e erra mais um gol por cobertura).

Cuca lança seu time à frente, mas o Cruzeiro bem postado com forte marcação vai anulando as principais jogadas do time paulista. Willian e Alisson cansam e dão lugar a Riascos e Allano que pouco produzem. Riascos, aliás, até apanha da bola. Certamente vai perder espaço com as entradas de Ábila e Sóbis no setor ofensivo celeste. Inclusive, com a chegada de Whanchope, um estrangeiro deve deixar o elenco. Fabrício Bruno entra no lugar de Bruno Ramires para fechar mais a defesa e garantir a vitória.

Não posso me furtar de reverenciar os Guerreiros das Arquibancadas. A China Azul deu um espetáculo! O público de dezoito mil (encheria o caixote do horto) reflete desconfiança ainda, mas ele vai crescer à mesma medida em que o Cruzeiro for galgando posições na tabela de classificação. Mais duas vitorias e estaremos fungando no cangote da turma do G4, quem viver, verá.

Hoje o “Guerreiro de ouro” foi escolhido pela galera em enquetes realizadas no twitter após a partida. As opções eram: Mayke, Henrique, Romero, Willian, Alisson e De Arrascaeta. O Uruguaio leva com 77% dos votos. Realmente ele fez uma partida muito boa, está crescendo muito sob o comando de Paulo Bento. “Guerreiro de lata” vai para Riascos, que entrou no finalzinho, mas ainda assim conseguiu apanhar da bola e ser responsável pelas bizarrices celestes na partida.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO 2 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 25 de junho de 2016, sábado
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Alessandro A. Rocha de Matos (Fifa-BA) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Público: 18.082 pagantes
Renda: R$ 577.097,00
Cartões amarelos: Bruno Rodrigo, Lucas Romero, Arrascaeta e Bruno Ramires (CRU); Edu Dracena e Tchê Tchê (PAL)
GOLS:
CRUZEIRO: Willian, aos 14 minutos do 1º Tempo e aos 2 minutos do 2º Tempo
PALMEIRAS: Gabriel Jesus, aos 10 minutos do 1º Tempo

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Bruno Viana e Bryan; Henrique, Lucas Romero, Bruno Ramires (Fabrício Bruno), Alisson (Allano) e De Arrascaeta; Willian (Riascos). Técnico: Paulo Bento

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio (Thiago Santos); Tchê Tchê e Moisés; Roger Guedes (Cristaldo), Cleiton Xavier (Luan) e Dudu; Gabriel Jesus. Técnico: Cuca

A Raposa voa novamente para o sul do país para enfrentar a Chapecoense na Arena Condá. Com a moral de dois triunfos seguidos, o Cruzeiro deve se aproveitar do memento turbulento da Chape que acaba de perder seu treinador para buscar mais três pontos e ratificar sua condição de acensão no campeonato. Até lá, China Azul! Guerreiros dos Gramados. Nossa torcida, nossa força.

por: Álvaro Jr