ÔÔÔ! Queremos jogador! (Chapecoense 3 x 2 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 12ª rodada)

Save Guerreiros!

Mais um derrota para comprovar o que a torcida já está farta de saber e de pedir à diretoria celeste: Precisamos ainda de reforços para dar condições ao Cruzeiro de Paulo Bento buscar algo esse ano ainda. Precisamos também estar cientes que o projeto com atual comissão técnica é de longo prazo, afinal, já está perfeitamente demonstrado que nosso atual treinador entende do riscado. Ele conseguiu, além de dar padrão ao time, fechar um grupo, fato evidenciado pela comemoração do gol de Mathias Pisano que abriu o placar na derrota desta quarta (29/06).

O Jogo

A Raposa começa a partida dominando completamente a Chapecoense assim como havia feito com o Palmeiras. A marcação alta impedia os avanços do time alviverde e logo aos seis minutos em jogada individual, De Arrascaeta jogando livre avança pela esquerda e centra para Mathias Pisano marcar seu primeiro gol com a camisa celeste após rebote do goleiro da Chape. Vantagem no marcador e a Raposa seguia soberana em campo, até que Henrique leva uma joelhada na nuca e deixa o campo para atendimento e exames, recomendação sempre que um atleta leva uma pancada na cabeça.

Com a saída de Henrique o Cruzeiro se desestrutura em campo. Paulo Bento lança o fraquíssimo Federico Gino mas perde completamente a eficácia na marcação cedendo o meio campo que controlava muito bem até ali para o time da casa. A Chapecoense se vale dessa conquista do meio e passa a pressionar o Cruzeiro que recua chamando ainda mais o time catarinense, o empate foi apenas uma questão de tempo. Gino falha na marcação permitindo que Silvinho saísse na cara do Fábio que resolveu entregar a paçoca levando um frango debaixo das pernas.

Falando em Fábio, o gol da virada na Arena Condá veio em cobrança perfeita de falta, quesito que atormenta o “goleiro de Deus” há muitos anos (Qual é o cruzeirense que não remete logo à eliminação para o Paulista de Jundiaí). Com a vantagem, a Chapecoense diminui o ritmo e o Cruzeiro cresce na partida conseguindo o empate com o zagueiro Fabrício Bruno que havia invertido posição (precisamos confirmar se foi por sua conta e risco ou Paulo Bento vai se mostrando muito ousado).

Não era mesmo noite do Cruzeiro vencer. O time de Chapecó fecha-se para explorar contra-ataques, e em um lançamento quase despretensioso no meio dos zagueiros, Lucas que havia entrado no lugar de Mayke amarelado no primeiro tempo, comete a falha bisonha da partida, ao tomar a frente de Kempes, deveria ter logo rifado a bola, e sua indecisão permitiu ao jogador da casa finalizar diante de um Fábio atônito com a falta de iniciativa do lateral.

A derrota deixa claro que Paulo Bento não tem reposição no elenco. Muitos amigos no Twitter questionaram porque o treinador não usou o Cabral, o Léo, mas como não vivenciamos o dia a dia dos treinos da Raposa, não podemos afirmar se esses jogadores já convenceram Bento de que merecem ser utilizados.

Guerreiro de ouro vai para Lucas Romero que fez uma bela partida, e sem levar sequer cartão amarelo (considerando que o juiz distribuiu em demasia para o Cruzeiro). Guerreiro de lata fica com Gino, esse rapaz é mais um que não tem condições de representar a camisa celeste. Voltamos para casa no fim de semana contra o Vitória em jogo às onze da manhã, um horário ótimo para lotar o Mineirão e buscar a segunda vitória em casa.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE-SC 3 X 2 CRUZEIRO

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)

Data: 29 de junho de 2016 (quarta-feira)

Horário: 21h (de Brasília)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (asp.FIFA-PR)

Assistentes: Luiz Souza Santos Renesto (CBF-PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (CBF-PR)

Cartões amarelos: Gil, Ananias, Gimenez e Rafael Lima (Chapecoense); Mayke, Bryan, Willian, Pisano, Lucas e Bruno Viana (Cruzeiro)

GOLS

CHAPECOENSE: Silvinho aos 41 minutos do primeiro tempo; Arthur Maia aos 23 e Kempes aos 43 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO: Pisano aos seis minutos do primeiro tempo; Fabrício Bruno aos 38 minutos do segundo tempo

CHAPECOENSE: Marcelo Boeck; Gimenez, Marcelo (Rafael Lima), Thiego e Sérgio Manoel; Josimar, Gil (Arthur Maia) e Cleber Santana; Silvinho, Bruno Rangel e Ananias (Kempes)

Técnico: Caio Júnior

CRUZEIRO: Fábio; Mayke (Lucas), Fabrício Bruno, Bruno Viana e Bryan; Henrique (Gino), Lucas Romero, Bruno Ramires, Pisano (Elber) e De Arrascaeta; Willian

Técnico: Paulo Bento

Por: Álvaro Jr