Oito milhões que fazem até mesmo a Globo tremer

Conhecido em Minas Gerais como China Azul, a torcida do Cruzeiro é hoje, sem dúvida, um dos grandes diferenciais do clube. Quando se vê o nome da Raposa terá sempre um seguidor fiel e fanático com o manto estrelado seja no Campo , no atletismo e até mesmo nas quadras que é hoje a nova paixão dessa verdadeira massa, onde torcedores antes apaixonados pelo Minas Tênis clube, tem o prazer de acompanhar o seu time de coração também nesse esporte.

Já em 1993, em entrevista a revista placar, o escritor Roberto Drummond já explicava melhor de onde vinha essa paixão imensa que se tornou a maior torcida de Minas Gerais e a sexta do Brasil.

“O Cruzeiro ganhou a simpatia dos operários e das camadas mais pobres ao colocar, na década de 60, muitos negros em seu time… O Mineirão e os títulos que conquistou nessa fase fizeram do Cruzeiro o time popular”.

Nesses dias em que andam acusando essa torcida de ser preconceituosa, não poderíamos deixar isso passar batido.

Rede Globo como sempre tendenciosa

Depois de sofrermos com Galvão Bueno em suas narrações tendenciosas, para os times paulistas e cariocas, nesse último fim de semana foi à vez do narrador Luiz Carlos Junior, que chegou ao extremo de falar que Araçatuba é a capital do vôlei.

O narrador vôlei futurista, se é assim que se chamam os torcedores do Vôlei Futuro, vibrava descaradamente a cada ponto do adversário da Raposa, já nós pontos do time estrelado o “jornalista” lamentava.

A campanha induzida pela Rede Globo contra a homofobia também chegou ao extremo, em que a TV indiretamente classificava os torcedores cruzeirenses como preconceituosos. Vejo isso tudo como uma grande estratégia da emissora que hoje investe em suas telinhas no homossexualismo, como fonte de audiência.

Apesar de zelar pelo respeito um para com o outro, vejo tudo isso que aconteceu como um tremendo oportunismo do time adversário e da TV Globo, tendo visto por diversas vezes torcidas usarem esse tipo de artifício em jogos de futebol e até mesmo no vôlei. 

“Todos sabemos que a falta de respeito com o outro, seja esse quem for, é apenas o reflexo da falta de respeito por si mesmo, e principalmente da falta de autoconhecimento” por Rosemeire Zago.