Obrigado, Bruno Rodrigo!

Em fase de renovação de contrato, o zagueiro cruzeirense fez, recentemente, juras de amor ao clube. Chegou por aqui no começo de 2013, numa completa reformulação do nosso elenco. Reformulação que julgo necessária atualmente.

Há certos momentos na vida em que precisamos fazer uma reflexão e mudar algumas coisas, que julgamos essenciais, para continuarmos tendo sucesso. Mudar faz bem, oxigena nosso ambiente, evitando acomodações e injetando uma dose de atenção em todos os envolvidos, deixando claro que todos devem mostrar serviço para continuar onde estão.

Essencial nas campanhas de títulos em 2013 e 2014, Bruno Rodrigo acumula dois anos de altos e baixos, com muitas falhas que não costumava cometer. Talvez não tenha se adaptado muito bem aos esquemas de treinadores pós Marcelo Oliveira, ou aos seus companheiros de zaga pós Dedé. O fato é que o “Cabeça de Míssil” não vem apresentando futebol que o credencie a vestir a camisa cinco estrelas.

Por mais que seja dolorido, temos que nos desapegar de jogadores que estiveram no elenco fantástico que conquistou dois campeonatos brasileiros seguidos. Tenho, pelo zagueiro, grande respeito e profunda gratidão por tudo que já fez por nós. Tenho certeza que marcou seu nome na história de um dos maiores clubes do mundo. Mas o Cruzeiro precisa seguir seu caminho, e creio que a produção do jogador já não é a mesma e não há perspectiva de grande melhora.

A premissa se aplica a todos os jogadores. Percebo, em nosso elenco, algumas peças que possuem qualidade comprovada, mas que já não têm a mesma motivação para defender o clube. Outras que não reúnem condições técnicas de nos representar. Enxergo, atualmente, o mesmo cenário de 2012. Quando começamos mal, contratamos melhor no meio da temporada para nos salvarmos, precedendo anos de glórias.

É hora de colocar a mão no bolso, enxugar o elenco e contratar peças que venham com gana para mostrar serviço em suas carreiras, e contribuir com o crescimento do Cruzeiro.

Bruno Rodrigo, acho que chegou a sua hora. A você, meu muito obrigado por tudo!

Por: Luciano Batista

Foto: Washington Alves / Light Press / Cruzeiro