O time de um jogo – (Cruzeiro 3 x 0 Uberlândia – 7ª rodada)

Para quem esperava o término de Cruzeiro e Uberlândia para criticar mais uma atuação pífia do time de Deivid no Campeonato Mineiro, acabou se surpreendendo. A equipe fez uma atuação que deixou a torcida surpresa pela segurança e determinação em fazer um resultado que convencesse a torcida e desse um pouco mais de paciência ao trabalho de Deivid.

No primeiro tempo, destaco a objetividade e variação de jogadas. Se em algumas partidas o Cruzeiro forçava o jogo pelo lado esquerdo (quando aproveitava a força e os cruzamentos de Fabrício), desta vez soube o momento certo de alterar a saída, tanto com Fabiano, quanto com Sánchez Miño.

A objetividade foi ilustrada por três jogadores: Lucas Romero, Arrascaeta e Alisson. Romero pela direita fez uma função semelhante a de Willians, quando Mano Menezes assumiu. Um volante com liberdade para ajudar o lateral no ataque e dar opção a quem joga na frente. Arrascaeta usou a habilidade e a inteligência para colocar os companheiros no ataque. Outro destaque foi o gol que abriu o placar. Um gol de bola parada, com cabeceio de um zagueiro. Bruno Rodrigo não marcava desde 2014, contra o San Lorenzo na Libertadores. Hoje voltou a marcar na cobrança de falta de Alisson (que também usou a habilidade para abrir espaço na zaga adversária).

O time celeste seguia em busca de mais um gol após o 1 a 0. Alisson parou na trave e em seguida, Rafael Silva (em impedimento) colocou a bola na rede, no entanto, o árbitro Igor Junio Benevenuto anulou o gol. Já o segundo tempo foi comandado pelos argentinos. Logo aos 11 minutos, Alisson cruzou para a área e o volante Wendell, do Uberlândia cortou o cruzamento com a mão. O árbitro marcou pênalti e Lucas Romero foi para a cobrança, colocando o 2 a 0 no placar.

Com dois gols de vantagem e o recente histórico de atuações, na minha cabeça e de muitos torcedores, a ideia do time de Deivid seria controlar a partida e se possível, marcar mais gols. O Uberlândia parecia ter entregado os pontos depois do pênalti e Arrascaeta, Fabiano, Romero começaram a ter mais facilidade para criar no setor direito e o goleiro Thiago Braga trabalhava cada vez mais.

Rafael Silva foi o símbolo da entrega. Se esforçou o jogo todo, correu e tentou várias vezes deixar o dele. Um chute mais fraco do que o planejado aqui, outro mais forte lá. E quando tinha a chance clara, o travessão não deixou e entregou a oportunidade na cabeça de outro argentino: Ariel Cabral. De peixinho, Ariel (que recebeu o terceiro amarelo e está fora do jogo contra o Villa Nova, domingo) marcou o terceiro no seu último lance em campo, antes de dar lugar ao jovem Marciel.

No fim, o Uberlândia mostrou que de fato se perdeu no jogo. Wendell deu um pontapé em Rafael Silva e levou o vermelho direto. Élber deu lugar a Alisson no decorrer do segundo tempo, mas não teve o mesmo brilho de jogos anteriores. Talvez por ter entrado em uma função que não é acostumado a fazer, pelo lado esquerdo. Em seguida, Alex entrou no lugar de Arrascaeta e mostrou personalidade mais uma vez, finalizando e obrigando o goleiro Thiago Braga a mais uma intervenção. Fabiano e Sánchez Miño também tentaram, mas sem sucesso.

O Guerreiro de Ouro fica com Lucas Romero. Jogou como o líder, cobrou com segurança a penalidade e teve como “presente” o primeiro gol do amigo Ariel Cabral pelo Cruzeiro. Menção honrosa para a partida do time, com segurança e em direção ao gol. O Cruzeiro, líder do Campeonato Mineiro com 17 pontos volta a campo no domingo (20), contra o Villa Nova no Mineirão.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 3X0 UBERLÂNDIA

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Data: 15 de março de 2016 (terça-feira)

Horário: 20h30 (horário de Brasília)

Árbitro: Igor Júnio Benevenuto (MG)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Sidmar dos Santos Meurer (MG)

Gols: Bruno Rodrigo, aos 33min do primeiro tempo; Lucas Romero (pênalti), aos 11min, e Ariel Cabral, aos 33min do segundo tempo.

Cartões amarelos: Lucas Romero, aos 46min do 1ºT. Ariel Cabral, aos 26min do 2ºT (Cruzeiro); Coutinho, aos 26min, Rodrigo Dias, aos 32min do 1ºT (Uberlândia).

Cartão vermelho: Wendel (Uberlândia)

CRUZEIRO: Fábio; Fabiano, Manoel, Bruno Rodrigo e Sánchez Miño; Lucas Romero, Henrique e Ariel Cabral (Marciel); De Arrascaeta (Alex), Rafael Silva e Alisson (Elber).

Técnico: Deivid

UBERLÂNDIA: Thiago Braga; Rodrigo Dias, Rodolfo Mol, Marco Tiago e Rayro; Wendel, Max Carrasco, Coutinho (Alê) e Wellington Melo (Wellington Reis); Mikael (Magalhães) e Caio Dantas.

Técnico: Alexandre Barroso

Por: Matheus T. Rodrigues

* Crédito da imagem de destaque: Lucas Bois/Light Press/Cruzeiro