O som da mediocridade (URT 1 x 1 Cruzeiro – Campeonato Mineiro 4ª rodada)

Salve, guerreiros!

Aquele jogo de irritar qualquer torcedor da Raposa. Que futebol pífio, sem objetividade, medíocre. Depois de encantar este colunista com o primeiro tempo primoroso diante do Volta Redonda pela Copa do Brasil no meio de semana, esperava eu, que o Cruzeiro apresentasse um futebol no mínimo de qualidade contra o time de Patos de Minas. O som da torcida da casa comemorando ao final da partida um empate, é o tema da coluna de hoje: O som da mediocridade.

O jogo

Mano altera o time em relação ao que atuou da última quarta-feira, o que é natural, pois assim tem feito desde o início da temporada em função da maratona de jogos. Obviamente, ninguém esperava uma queda de rendimento tão alarmante. O Cruzeiro simplesmente não consegue impor-se na partida. Enfrenta um adversário que durante grande parte do jogo encara o Cruzeiro de igual para igual. A vitória  que era esperada para manter os 100% de aproveitamento no ano, não vem. Entretanto, não é desesperador o resultado de hoje. Lembrem-se que estamos falando do fraco Campeonato Mineiro.

Primeiro tempo

De dar sono! Assim foi a apresentação da Raposa na etapa inicial da partida. Um time sem criatividade, que não produz absolutamente nada de perigo ao time da URT. Alisson não é nem sombra do jogador que encantou pela Copa do Brasil. A opção de Mano em lançar Alex no meio não funciona. O jogador tem atuação com zero de personalidade, mal se houve seu nome durante a transmissão. Em um único contra-ataque que a bola chegou inteira nele, o jovem atleta não soube o que fazer com ela. Mas o atleta é promissor, desde que utilizado em sua posição de origem, não avançado como foi escalado hoje por Mano Menezes.

Ramon Ábila, que era esperança de que o excesso de gols perdidos na última partida, não recebe a bola em condições de finalizar, algo que credito à falta de uma ligação efetiva. Essa etapa da partida termina sem abertura de contagem e já prenuncia um mau resultado nesta tarde.

Segundo tempo

Surpreendentemente, Mano promove a entrada de Rafael Sobis logo na volta do intervalo, no lugar do apagado Alex. Todos esperávamos que De Arrascaeta viesse, mas, segundo a reportagem de Júlia Guimarães do Premiere, o uruguaio teria sentido algo durante o intervalo. O Departamento Médico celeste não quis dar detalhes.

A entrada de Sobis traz um pouco mais de ofensividade ao Cruzeiro, que de tanto tentar, abre o marcador em cobrança de penalidade sofrida por Rafinha e convertida por Ábila. O tento nem chegou a ser comemorado, pois o bem treinado time da URT logo alcança o empate. Com a entrada do inoperante Élber, o Cruzeiro sepulta de vez seu interesse em vencer a partida. Diogo Barbosa ainda é lançado por Mano na intenção de suprir a falta de um meia, mas sem sucesso.

Um empate comemorado pela URT, porém muito ruim para o Cruzeiro que pode perder as primeiras posições na tabela por causa desses dois pontos perdidos. Agora é esperar o time se recompor do mau resultado, aguardar a estreia do Thiago Neves que teve sua documentação liberada pela FIFA e já pode ser inscrito, o que deve ocorrer já nesta segunda podendo permitir que o atleta jogue na próxima quarta.

Guerreiro de ouro vai para Sobis por conseguir mudar a dinâmica do jogo e proporcionar a chance da vitória celeste, apesar dela não ter vindo. Guerreiro de lata está difícil hoje. Os candidatos são Alex, pelo primeiro tempo inoperante; Élber, por mais uma entrada patética, só pra queimar uma substituição; e por fim, Mano Menezes, por erra na montagem do time e nas mudanças no decorrer da partida. Votem à vontade em nossas redes e nos comentários. Pelo conjunto da obra, em minha opinião, Mano é o “cara”.

FICHA TÉCNICA
URT X CRUZEIRO

Local : estádio Zama Maciel “Mangueirão”, em Patos de Minas
Data-hora : 18/2/2017 (sábado) – às 16h30 (de Brasília)
Árbitro : Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Assistentes : Guilherme Dias Camilo (MG) e Ricardo Júnio de Souza (MG)

Gols : Ramón Ábila – 17’/2ºT (0-1); Gabriel Ceará – 23’/2ºT (1-1)

Cartão amarelo : Jô, Luan (URT); Luis Caicedo, Mayke, Fabrício (Cruzeiro)

URT : Juninho; Everton, Rodolfo, Luan e Fabinho; Jô, Cascata (Jordan – 41’/2ºT) e Allan Dias; Carlinhos, Edmar (Rafael Oller – 21’/2ºT) e Marques (Gabriel Ceará – 16’/2ºT). Técnico: Rodrigo Santana.

CRUZEIRO : Rafael; Mayke, Léo, Luis Caicedo e Fabrício; Ariel Cabral, Henrique, Alex (Rafael Sóbis – Intervalo) e Rafinha (Diogo Barbosa – 33’/2ºT); Alisson (Élber – 27’/2ºT) e Ramón Ábila. Técnico: Mano Menezes.

Voltamos à Copa do Brasil com possível estreia de Thiago Neves, que fez muita falta no jogo de hoje, por exemplo. Hora da China Azul começar a encher nossa casa, o Mineirão, e fazer a diferença.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr