O que foi, Gilvan?

Olha, não sou daqueles torcedores chatos. Eu juro. Apoiei a vinda de Marcelo Oliveira desde o início (duvida? Vá no meu twitter), gostei quando Gilvan trouxe Alexandre Mattos do América – mesmo nunca tendo imaginado que daria tão certo – e não reclamei do time praticamente nenhuma vez em 2013 e 2014.

Afinal, tudo era feito para dar certo, a gente via um toque de planejamento, boa gestão e coerência em tudo que era realizado. Perder faz parte, é natural do esporte, e gritei apoiando o time quando perdemos a Copa do Brasil para o maior rival e até mesmo na derrota contra o River. Claro, aquilo foi uma tragédia, mas até ali o clube contava com meu apoio.

Depois que demitiram Marcelo Oliveira, comecei a lembrar do Gilvan pré-Mattos. Minha esperança foi se dissipando. Alguém que demite o melhor treinador do Brasil para trazer Luxemburgo não pode ser uma pessoa antenada e confiável para gerir o Maior de Minas. Mas, daí, resolvi dar uma chance ao Luxa, quem sabe ele voltava ao que era 10 anos atrás. Não durou um mês a minha tentativa.

Neste texto, deixo claro que não estou querendo fazer aqui meu marketing pessoal, dizer que sempre estive certo, que entendo de futebol e bla bla bla, estou somente tentando provar que não tenho perfil de corneteiro que reclama de tudo. Nunca vaiei Júlio Baptista, Marlone, muito menos critiquei Dedé, como muitos outros torcedores que conheço.

Constatado isso, digo que estou muito, mas muito preocupado com o rumo que o Cruzeiro está tomando. Gilvan está nos levando para o buraco. Se o ano está ruim, a perspectiva é para piorar mais, muito mais. A credibilidade da gestão está sendo minada, pouco a pouco, a cada declaração, a cada mentira contada, e agora com a contratação de um dirigente de futebol com um currículo pífio.

Aos que cobram apoio incondicional ao clube, refuto dessa vez. Dentro do estádio, sim, é necessário apoiar e acreditar sempre, mas fora é preciso que a torcida se mobilize. Está tudo errado, e se as coisas continuarem nesse ritmo, podemos parar na segunda divisão. Nosso rival, que tem uma gestão eficiente que não se desfez como a nossa, vai nos deixar comendo poeira nas próximas temporadas.

Então é hora de mudar. Recomeçar do zero, essa gestão perdeu o controle e a credibilidade para gerir nosso clube. Agora pergunto: o que foi, Gilvan? Virou atleticano? Não estou te entendendo. Agora já nem dá tempo de se explicar, é melhor sair ou mudar de vez este rumo que você está dando ao nosso clube.

Por: Thalvanes Guimarães