O Cruzeiro do Mano nos braços do povo

O Cruzeiro do Mano nos braços do povo

Saudações, Guerreiros!

Após mais uma atuação tática consistente, combinada com um verdadeiro espetáculo vindo das arquibancadas, o Cruzeiro, até que enfim, bateu o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro. A sequência invicta só se prolonga, e embora o clube tenha poucas chances de alcançar o G-4 (ou G-5), o que se vê em campo permite aos torcedores celestes sonhar. Embora alguns jogadores estejam em fases excelentes, existe um grande responsável por toda esta retomada de confiança na equipe dentro de campo: o treinador Mano Menezes.

Após pegar um Cruzeiro todo desfigurado, brigando para não cair e com as expectativas baixas, dois meses depois, Mano conseguiu dar um padrão à equipe celeste. Um modelo de jogo dinâmico, baseado na intensidade e na movimentação constante dos homens em campo. Na defesa, o objetivo é primar pela segurança; os laterais são, antes de tudo, marcadores. Eventualmente vão ao ataque, mas sem exageros e alternadamente. Na frente, marcação sob pressão, passes curtos e infiltrações a todo momento. É bonito ver o Cruzeiro jogar!

Mano encontrou a formação ideal, uma espécie de 4-4-1-1, onde, na linha de meio-campo, Ariel Cabral e Henrique jogam mais centralizados, como exímios controladores de jogo, e Gabriel Xavier (na partida de ontem) e Willians (lembrando seu melhor momento no Flamengo, em 2009) se deslocam pelos lados do campo. Arrascaeta, por mais que tenha a tendência de jogar mais centralizado, tem a liberdade para ocupar todas as faixas do campo. Jogando como uma espécie de atacante móvel, Willian reencontrou o melhor do seu futebol, sendo decisivo na maioria das partidas da era Mano Menezes.

O treinador celeste demonstra, a cada dia que passa, o quanto estuda e o quanto conhece o elenco que tem à disposição. Mano tem conseguido tirar o melhor do elenco, resgatando o futebol de alguns e colocando contestados em posição de destaque. O resultado são as variações de jogadas, a efetiva melhora na noção de posicionamento em campo e a capacidade de controle do jogo que a equipe celeste tem.

Consistência e equilíbrio são palavras-chave do Cruzeiro de Mano Menezes. Embora haja um árduo trabalho ainda a ser efetuado na construção de uma boa temporada em 2016, estes 68 dias de trabalho do treinador nos enche de esperança. Esperamos que, ao final da temporada que vem, tenhamos muito mais do que comemorar do que hoje. Todavia, por enquanto, o trabalho de Mano satisfaz.

 

Por: Pedro Henrique Paraíso