Foto: VipComm

Nervoso, Cruzeiro não se impõe e apenas empata com o Atlético-PR na Arena do Jacaré

Cruzeiro e Atlético-PR entraram em campo sabendo que uma derrota teria efeito devastadores na briga pela fuga do rebaixamento, pois também significaria o fortalecimento de um rival direto.

Foto: VipCommReceosos com a possibilidade de perder a partida, os dois times jogavam com bastante cautela e buscavam impedir o adversário de jogar. Pouco eficientes na marcação, no entanto, Cruzeiro e Atlético-PR ofereciam espaços e corriam riscos sempre que um de seus atletas falhava.

Foi justamente de uma falha de um atleta cruzeirense, Diego Renan que afastou mal uma bola na linha de fundo, que saiu o primeiro gol da partida. Aos 25 minutos, Wendell se aproveitou da falha do lateral celeste e cruzou na medida para Marcinho abrir o placar.

A tensão tomou conta do Cruzeiro e os passes errados passaram a ficar ainda mais frequentes. O Atlético-PR, por sua vez, se acuava para manter o resultado e acaba permitindo que a Raposa chegasse ao ataque.

Com pouco espaço para atacar cabia ao Cruzeiro esperar uma rara oportunidade de contra-ataque e ela veio após cobrança de falta de Paulo Baier. A zaga celeste afastou e Wellington Paulista foi lançado pelo lado esquerdo. O atacante cruzou para área e aos 42 minutos o volante Charles aproveitou a indefinição da defesa paranaense para igualar o marcador.

O gol acordou o time cruzeirense e na segunda etapa a Raposa chegou a impor uma pequena pressão sobre o adversário. Montillo, pouco inspirado, criava as melhores chances, mas não concluia as jogadas Para piorar, quando a bola chegava até a área os atacantes, especialmente Anselmo Ramon, estavam mal posicionados ou concluíam sem qualidade.

A pressão celeste, porém, diminuiu após a entrada de Roger no lugar de Ortigoza aos 17 minutos. É bem verdade que o armador deu um precioso lançamento que Montillo não aproveitou, mas em geral a sua entrada reproduziu a apatia tradicional e acabou contribuindo para que o adversário assumisse o controle do meio-campo.

O Furacão passou a incomodar, mas as duas equipes continuavam sem criar grande perigo. Mancini ainda tentaria algo com as entradas de Everton e Farías nos lugares de Charles e Wellington Paulista, mas as alterações pouco mudaram o panorama do jogo.

Os minutos finais, entretanto, foram de sufoco. O Atlético-PR chegou a ter um gol mal anulado aos 38 minutos com Paulo Baier e Fábio garantiu o empate após duas boas chegadas do adversário.

O Cruzeiro segue fora da zona de rebaixamento, mas Atlético-PR e Ceará seguem na cola. Ainda mais pressionado, o time celeste precisará de uma boa semana de trabalho para triunfar em Fortaleza e, na próxima rodada, tentar eliminar pelo menos um concorrente nesta amarga disputa.

CRUZEIRO 1 X 1 ATLÉTICO-PR

Motivo: 36ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG
Data: 20/11/2011
Horário: 17h
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Gol: Marcinho, aos 25min; Charles, aos 42min do primeiro tempo;
Público: 18.139
Renda: R$ 118.591,75

CRUZEIRO
Fábio; Marquinhos Paraná, Leandro Guerreiro, Cribari e Diego Renan; Fabrício, Charles (Everton) e Montillo; Ortigoza (Roger), Wellington Paulista (Farías) e Anselmo Ramon
Técnico: Vágner Mancini

ATLÉTICO-PR
Renan Rocha; Wendel, Manoel, Gustavo Araújo e Heracles; Renan Foguinho (Cléber Santana), Marcelo Oliveira; Paulo Baier e Marcinho (Adaílton); Guerrón e Morro García (Branquinho)
Técnico: Antônio Lopes

Cartão amarelo: Montillo (Cruzeiro); Guerrón (Atlético-PR)

João Henrique Castro (@jhfcastro), tem 23 anos. Mineiro radicado no Rio de Janeiro,graduado em História pela Universidade Federal de Viçosa, mestrando pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e professor de História. Realiza no Guerreiro dos Gramados, o sonho de poder dividir com a China Azul os seus pensamentos sobre o nosso amado Cruzeiro Esporte Clube. Raramente perde uma partida do clube, mesmo não podendo ir freqüentemente ao estádio. Siga o GDG no twitter: @gdosgramados.