Péssimas notícias, ótima conduta

Há uma semana, fiz aqui um texto a respeito do Departamento Médico do Cruzeiro. Mais do que questionar métodos, as maiores dúvidas eram relacionadas a falta de transparência no setor, especialmente pelo excesso de lesões sofridas pelos nossos atletas. Eis que nesta sexta-feira (08), o clube convocou entrevista coletiva para explicar a situação de todos os atletas entregues ao DM. Apesar de algumas notícias muito ruins, especialmente com relação ao atacante Judivan, a postura do clube foi perfeita. Manterá imprensa e torcida devidamente informadas sobre o que está acontecendo com os jogadores e a previsão para retorno às atividades.

Transparência era a nossa maior reivindicação, agora atendida. Sei que a indignação de todos nós, cruzeirenses, fez a diretoria enxergar a importância da situação. No último jogo, contra o Vitória, o treinador Paulo Bento não aliviou também, afinal perdeu dois jogadores com problemas físicos no primeiro tempo do jogo (Alex e Alisson). No jogo de domingo passado, já havia perdido também Élber. A situação é muito complicada e precisa ser tratada com muito cuidado.

Da mesma maneira que vim aqui criticar a direção, me sinto na obrigação de retornar ao espaço para elogiar a postura adotada nesse caso. Mesmo que o trabalho dos profissionais siga o mesmo (o que acredito) e que essas lesões elevadas sejam apenas uma coincidência, saber o que está acontecendo no clube nos dá mais segurança de que as coisas estão sendo bem conduzidas.

Um apanhado sobre os prazos de cada atleta: Marciel, Mayke e Élber devem retornar aos trabalhos em 3 semanas. Marcos Vinícius tem fibrose na musculatura, o que causa grande risco de novas lesões. Está passando por processo de prevenção. Dedé está com a lesão cicatrizada, realizando reforço muscular. Estes dois são os que estão mais perto de voltar a trabalhar com o grupo. Alisson ficará 6 semanas de molho tratando a lesão no músculo posterior da coxa. E Alex para por 2 meses, devido a grave lesão no adutor.

A má notícia foi dada pelo Dr. Sérgio Freire Jr. O atacante Judivan, longe dos gramados há mais de um ano, ficará mais um bom tempo fora. De 10 a 12 meses, período para reconstruir o ligamento do joelho. Vale ressaltar que a cirurgia do jogador foi realizada pelo Dr. Moisés Cohen, que nada tem a ver com o Cruzeiro ou seu DM. E o insucesso da intervenção foi creditado ao fato do organismo do Judivan não ter reagido bem ao tecido enxertado no procedimento. A torcida aqui vai pela total recuperação do atacante como jogador profissional, considerando que ficar dois anos longe dos gramados é um baque grande demais para qualquer atleta, sobretudo um jovem tão promissor.

Uma incerteza a menos para todos nós. Que o trabalho seja bem feito para que os jogadores estejam logo disponíveis para que Paulo Bento tenha condição de armar um Cruzeiro forte, capaz de avançar na tabela, tranquilizar a todo torcedor e voltar a disputar títulos. Força a todos os profissionais que trabalham e aos que estão em recuperação no Departamento Médico. O Cruzeiro precisa do melhor de todos para voltar a se mostrar, em campo, o gigante que ninguém no mundo é capaz de contestar.

Foto: Reprodução / Marco Antônio Astoni (Globoesporte.com)

Por: Emerson Araujo