21 ago Marcação cerrada em Luxa


Salve, salve guerreiros, sabendo de todas as adversidades no Cruzeiro em 2015 a marcação cerrada da partida Palmeiras x Cruzeiro pela Copa do Brasil, foi realizada em cima de quem hoje cria as polemicas e chama a atenção no Maior de Minas, Vanderlei Luxemburgo. O experiente treinador, multicampeão, um dos maiores em atividade no cenário nacional que está a frente do elenco celeste pela segunda passagem, desde a quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

Luxemburgo assumiu o Cruzeiro após a demissão do ex-treinador e nas três primeiras partidas deu números muito bons ao seu histórico, infelizmente estes números não vem se repetindo assim como as escalações e assim escalou o Cruzeiro com Fabio, Mayke, Paulo André, Manoel  e Mena, Charles (Cabral), Henrique e Fabrício; Alisson (Arrascaeta), Marquinhos (V.Araujo) e Damião.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Quando se trata de marcação cerrada em treinador devemos analisar os pontos cruciais do jogo, e em se tratando de esquema tático Luxa congestionou o meio campo fechou os métodos de articulação do Palmeiras e dominou todo o jogo, o time teve mais de 60% de posse de bola, maior numero de finalizações certas e erradas, mas isso não é sinônimo de vitoria. Diferentemente do vôlei onde o time menos entrosado pode sair na frente e perder no decorrer da partida, no futebol se você faz uma “cagada” e toma gol no começo do jogo, uma reversão pode ser muito difícil, e foi exatamente assim, em jogada trabalhada pelo lado direito da defesa celeste, nas costas do Mayke que parece estar com verme e entrado em campo após comer uma feijoada, saiu o primeiro gol. E ao contrario do quem vem sucessivamente acontecendo o Cruzeiro cresceu após o gol, partiu pra cima, mas faltava o passe final, aquele para deixar as portas abertas para o gol, Chances foram criadas e desperdiçadas.

No inicio do segundo tempo em belo lançamento de Fabrício, Damião concluiu ao gol sem chances para F.Prass, estava empatado o jogo. Mas em mais uma falha “bizonha” de Mayke em bola cruzada da esquerda, o Palmeiras aumentou o placar e apesar da insistência celeste o placar não foi revertido.

Luxa, trocou Marquinhos por Vinicius Araujo com intuito de ter mais força no ataque e o jovem atacante apesar da disposição e empenho pouco produziu. Arrascaeta entrou no lugar do Alisson que vinha bem na partida, mas nenhum dos dois conseguiu ser aquele armador que o Cruzeiro precisa. Luxa substituiu Charles amarelado por Ariel que perdeu o gol de empate debaixo da trave, em meu entendimento por falta de ritmo de jogo, afinal quatro meses sem entrar em campo fazem diferença.

Assim o time Celeste até jogou bem, perdeu até de forma decente e se doando em campo, mas é evidente que vem pecando na falta de entrosamento entre as peças dispostas dentro das quatro linhas. E esta deficiência vem do trabalho apresentado por Luxa, uma vez que quem da os treinamentos é Deivid, mas o treinador é Vanderlei Luxemburgo, assim sendo ele deve colher os louros é também a estigma de incompetente nas derrotas, que são muitas nesta atual passagem pelo Cruzeiro.

O ponto marcante de Luxemburgo na partida não foi nenhum esquema tático diferenciado ou ousadia em armar o time, mas sim a queda; Após receber uma trombada do meia Dudu o técnico foi ao chão como uma jaca podre. O treinado estava na área técnica, com toda a prepotência que o precede de ser intocado, (mas acho que estes tempos se foram) recebeu um encontrão e acabou tendo uma lesão do dedo mínimo. Quem sabe isto sirva de ensinamento para ele acordar e colocar em pratica o esquema que outrora o definiu como um dos melhores do mundo, pois os erros evidenciados na partida são muito bobos, vem acontecendo com frequência e certamente com treinamento de posicionamento se resolve, mas para isso os treinamentos devem acontecer de forma intensiva, ou seja precisamos de ainda mais trabalho, “buscando com atitude uma situação diferente”. Conforme palavras do próprio treinador.

Por: Vander Araújo


Deixe seu comentário, curta e compartilhe