W.Paulista - Foto: VipComm

Mais uma derrota fora de casa…

Salve Nação Azul! A tarde de domingo não foi nada agradável para nós cruzeirenses. Mais uma vez, nossos jogadores não conseguiram demonstrar a qualidade técnica do time jogando fora do Mineirão.   O São Paulo que precisava se reabilitar na competição fez o dever de casa e goleou o Cruzeiro por 3×0. 

Um jogo que teve lances polêmicos, jogadas desleais e ainda arbitragem que deixou a desejar. Mas tais problemas não servem de justificativa para a má atuação da equipe azul em campo.

W.Paulista - Foto: VipCommO São Paulo entrou muito bem, marcou a saída de bola do time celeste, não deu espaços e ainda se aproveitou do festival de passes errados da Raposa e nas oportunidades que teve para fazer o gol, fez. Já o Cruzeiro não entrou bem desde o início do jogo, jogando com 4 volantes no meio de campo, sem nenhum homem de criação e com o Wellington Paulista no ataque, que na minha visão é um péssimo jogador, não marca, não chega, não auxilia nas jogadas e ainda finaliza muito mal. Ele já teve várias oportunidades no time e não correspondeu.

O primeiro gol saiu de uma jogada irregular de Washington, atacante do São Paulo, que fez a falta no volante Henrique, mas mesmo assim cabeceou a bola para o fundo da rede. Logo depois do gol sofrido, o Cruzeiro teve uma grande chance de empatar a partida com um lançamento de Wellington para Gerson Magrão, mas diferente do São Paulo, o time não concluiu a jogada, a bola parou na trave.

O segundo gol saiu de um belo passe de Marlos, que estava muito bem na partida. Ele tocou para Zé Luis que colocou a bola nos pés de Borges, que não perdoou e fez São Paulo 2×0 Cruzeiro. Daí pra frente a Raposa deu uma melhorada no jogo, mas mesmo assim não conseguiu criar nenhuma jogada que causasse perigo ao gol de Denis.

No segundo tempo, o técnico Adílson Batista fez o chamado seis por meia dúzia, trocou o lateral esquerdo Magrão por outro lateral, Athirson, mas em minha opinião, o mesmo poderia entrar no meio de campo como armador, assim deixando Ramires fazer a sua função tática original. Até que a equipe celeste voltou melhor para a partida, entrou com uma postura mais ofensiva, Adílson ainda tirou o atacante Wellington Paulista, que parecia nem estar em campo e colocou Zé Carlos, que não acrescentou muito ao time. Com a equipe toda no ataque adversário, ficou um vazio na defesa celeste. O técnico Muricy ainda tirou o atacante Washington e colocou Dagoberto, que tem muita velocidade, assim a equipe paulista poderia administrar o jogo, fazendo mais jogadas de contra-ataque. E logo que entrou, Dagoberto fechou a conta para o São Paulo, marcou o terceiro gol após um lançamento do goleiro Denis, na área celeste, pegando a defesa toda desarmada, bateu cruzado, sem chances para o goleiro Fábio.

Podemos ressaltar também a violência dentro de campo, principalmente por parte dos paulistas onde a bola da vez era fazer as faltas no jogador Kleber do Cruzeiro. O Gladiador sofreu 14 faltas no jogo e o árbitro da partida simplesmente deixou os lances seguirem. É necessário que a diretoria celeste fique de olho nessas jogadas e apresente alguma reclamação diante do STDJ para que o pior não possa ocorrer depois.

Mas voltando para a análise tática do jogo, a pergunta que fica é por que o Cruzeiro jogando fora de casa atua tão mal? Por que certos jogadores não conseguem mostrar o mesmo futebol que é apresentado dentro do Mineirão? São questões que precisam de uma resposta e ainda uma solução o mais rápido possível, pois o torcedor acaba perdendo a confiança no time e ainda a equipe fica com uma fama de só ganhar dentro de casa. Talvez seja o caso de um psicólogo trabalhar com os jogadores para que este problema possa ser resolvido em quanto existe tempo.

Bom, depois deste jogo a equipe do São Paulo ficará bem mais motivada para o segundo confronto das quartas de final da Libertadores e já se escuta uma conversa de que será muito fácil passar pelo Cruzeiro, pois os mineiros “não sabem” jogar fora de casa, infelizmente, essa é a fama que o time criou por ter essas más atuações longe de seus domínios. Ainda tabu continua, já são 6 anos sem ganhar do tricolor paulista, jogando no Morumbi.

O que se espera é que o jogo de hoje sirva de lição para que os mesmos erros não se repitam no confronto do dia 17, caso o time almeje algo muito maior do que a conquista do Campeonato Mineiro. Ainda, esperamos que o Cruzeiro entre com uma postura diferente, que jogue com mais raça e brigue mesmo por esta vaga nas semifinais.

Também deixo o meu pedido para toda a China Azul que não se desespere com este resultado, os jogos são diferentes, claro que este resultado largo causou desanimo pra nossa imensa Nação Celeste e ainda muitos torcedores já não acreditam mais na classificação. Não podemos esquecer que a vantagem é nossa, mesmo que seja pequena, quem tem que fazer resultado são os paulistas, então vamos apoiar nosso amado Cruzeiro rumo a classificação e que a estrela da esperança não se apague por nada!

O jeito é levantar a cabeça, porque vem mais pedreira por aí. Que venha o Inter semana que vem!

Um abraço a toda Nação Azul!
Sangue Azul tem Poder!