01 abr Hasta La Vitória


Salve, salve China Azul.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

 

Foi na raça, foi na vontade, foi na dedicação, foi no empenho, foi no talento. Sada/Cruzeiro e SESI/SP fizeram uma semi-final digna de uma Superliga inesquecível. Um confronto de gigantes que fizeram juz a um dos torneios de vôlei mais disputados e competitivos do esporte.

 

Como previsto, a disputa pela vaga foi quase uma final antecipada, com todos os elementos para um grande jogo: Rivalidade, catimba, heróis, vilôes e torcidas apaixonadas pelo esporte e seus clubes.

 

Ao time paulista era tudo ou nada. Como havia perdido a primeira partida em Contagem/MG, uma nova derrota seria o adeus à Superliga 2012/2013. Para o time celeste, uma vitória valeria a terceira final seguida no maior torneio nacional.

 

De um lado, um time badalado e supervalorizado, com vários e vários atletas com passagem pela seleção brasileira, dentre eles Murilo, Serginho e Sidão. De outro, uma mescla entre jovens e experientes atletas que já jogam juntos há muito tempo no time celeste, formando uma equipe que se conhece muito em quadra e que tem no banco um experiente técnico argentino que sabe enxergar muito bem o jogo e mudar a partida com apenas algumas palavras.

 

O JOGO

 

A partida começou muito equilibrada, Sada/Cruzeiro e SESI/SP trocavam pontos e se estudavam e, mesmo contando com o apoio incondicional de sua torcida, o time paulista não conseguiu fazer prevalecer o mando de campo e no fim do primeiro set os guerreiros das quadras já mostravam que viriam para definir a semifinal naquela partida. William, Wallace e Rogério, em manhã inspiradíssima, ditavam o rítimo da partida. Pelo SESI/SP as ações ficavam por conta de Lorena que começou o jogo muito bem, Murilo com a tradicional qualidade e o líbero Serginho que também estava fazendo ótima partida. O time celeste, porém, fez prevalecer sua maior qualidade e conjunto e venceu a parcial por 25×22.

 

O segundo set começou igual o primeiro. O time paulista veio com tudo, forçando muito o saque e fazendo com que o Cruzeiro errasse algumas recepções e também contra-ataques. Uma contusão do líbero Serginho, no entanto, minou muito a força defensiva do time do técnico Giovanni Gávio que manteve o atleta mesmo jogando visivelmente no sacrifício. Mesmo virando os dois tempos técnicos na frente, o SESI/SP não teve forças para fechar o set e, virando as ações com a potência de Wallace que começou a voar na partida, o Sada/Cruzeiro passou à frente e fechou o set em 25×23 para o delírio da torcida azul que neste momento já gritava a plenos pulmões anunciando que a Superliga acabaria ali para o time paulista.

 

O terceiro set foi o mais disputado de todos. Tensão do time paulista que se enervou e na explosão de Lorena, Kleber e Murilo buscava de todas as formas se manter vivo na competição. O time mineiro novamente esperou o momento certo e ao final do set tomou conta das ações em uma ótima sequência de saques do levantador Willian que no serviço balanceado quebrava a defesa paulista a cada lance. O final do set foi de pura emoção.

 

Após quebrar três match points do time mineiro o SESI buscou igualar o placar mas as equipes em um momento de rara concentração e pouquíssimos erros, levaram ao set a um incrível 36×34 que foi assistido de pé pela torcida no ginásio e também na sala deste que vos escreve.

No final, nova vitória do time celeste que venceu seis sets seguidos de seu maior algoz na primeira fase da Superliga, o SESI/SP, que havia sido a única equipe que venceu os mineiros nos dois jogos da primeira fase, além de ter arrancado o título dos mineiros na final da temporada 2010/2011 em pleno Mineirinho lotado.

 

A redenção do time de guerreiros que novamente chega à uma final de Superliga com força para buscar novamente o título.

 

A OUTRA SEMI FINAL

 

O Sada/Cruzeiro fica agora na expectativa de quem será o seu adversário na grande finalíssima no Maracanazinho. Na outra semi-final está tudo empatado. No segundo jogo do super sábado de vôlei o VIVO/Minas simplesmente atropelou o badalado RJX, infligindo uma dura derrota ao time carioca por 3×0 (25/21, 27/25 e 25/20) forçando a terceira e decisiva partida que será disputada sexta feira 21h30min, com transmissão do SPORTV.

 

Além da bela vitória, o time mineiro mostrou que tem forças e qualidade para derrubar o primeiro colocado na fase classificatória com todo o mérito. O time azul do Lourdes mostrou qualidade de conjunto e individual na potência do ponteiro Lucarelli (maior pontuador da Superliga), na explosão e vontade de Henrique e na experiência de Marcelinho e de Filip e Quiroga que vem se destacando muito nesta fase decisiva da competição. E cabe lembrar que já na primeira partida o time minastenista mostrou que pode derrubar o poderoso RJX, pois jogando fora de casa, assim como será no terceiro jogo, chegou a acurralar o adversário carioca que teve dificuldade de prevalecer em seus domínios.

 

A próxima partida promete ser de tirar o fôlego e será decisiva para que possamos conhecer quem será o adversário do Sada/Cruzeiro na grande final. Seria muito legal ver uma final mineira. A força do time celeste contra a tradição do Minas Tênis na final da Superliga 2012/2013. É esperar para ver o que acontece.

Um abraço a todos e até a próxima.


Deixe seu comentário, curta e compartilhe