Futebol 10 x 0 Bastidores (Atlético – MG 2 x 1 Cruzeiro – Campeonato Mineiro)

Salve, guerreiros!

Segunda de cabeça cheia por causa da derrota deste domingo. Mas, vida que segue. Foi apenas mais um “Rural” que, como sempre, é vencido por Atlético, ou Cruzeiro. Dessa vez o “lado negro” da fraqueza se deu melhor, e na bola. Não precisava de nada que foi feito nos bastidores com anuência de Federação Mineira de Futebol, Polícia Militar e por aí vai. O papelão de não aceitar o Mineirão, tentar impedir a torcida celeste de estar presente, e até o fato ridículo de posicionarem alto-falantes para tentar abafar o canto da torcida celeste, se destacam mais que a conquista alvinegra. Às vezes, Atlético, nós até pensamos em respeitar você, mas então, vocês são capazes dessa vergonha alheia que apenas demonstra sua pequenez. Parabéns pela vitória na bola, e só!

As atitudes dos atleticanos nos bastidores apenas vão em sentido contrário do que todos queremos no futebol: sair de casa, curtir o espetáculo, e voltar para os nossos. Vários locais em Belo Horizonte na manhã e tarde de ontem registraram confrontos entre torcedores. Claro, o exemplo vem de cima. Quando vemos um presidente de federação agir de forma tão vil, tão baixa para favorecer seu time de coração, quando vemos a necessidade de nosso vice-presidente ter que apelar ao Ministério Público para que a Lei seja cumprida e nosso torcedor possa ir ao estádio, percebemos que há algo de errado, aliás, está tudo errado.

Hoje eu deveria estar analisando nossa derrota, entretanto, estou aqui manifestando repúdio ao comportamento de torcedor do mandatário da Federação que contribui para que as cenas de guerra e selvageria que assistimos ontem ocorressem. Uma lástima! Espero que no próximo ano, esses senhores coloquem a mão na consciência, e deixem que a disputa seja apenas em campo, e o clássico comece a ser disputado quando o juiz apitar, não uma semana antes com atitudes tão desprezíveis como vimos esse ano.

Enquanto o Cruzeiro está acostumado a escrever “páginas heroicas imortais”, nosso rival vai escrevendo páginas de vergonha. Ao menos em campo, os atletas, que deveriam protagonizar a disputa, fizeram um bom papel. Os dois jogos foram leais, jogados. Qualquer dos times poderia ter saído com a taça, mas coube ao Atlético a eficiência de marcar os gols. Não vou culpar ninguém pela derrota celeste. Acredito no coletivo, ganham todos, perdem todos. Mas não posso deixar de salientar que Roger Machado deu um nó no Mano Menezes.

Falando em Mano, esse colunista já havia avisado que se o treinador celeste não surpreendesse, dificilmente ficaríamos com a taça. Até reconheço que Mano surpreendeu no segundo tempo, mas aí, o caldo já tinha entornado.

FICHA TÉCNICA:
ATLÉTICO-MG 2 X 1 CRUZEIRO

Local: Estádio Independência, Belo Horizonte (MG)
Data: 07 de maio de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Igor Júnio Benevenuto
Assistentes: Pedro Araújo Dias Cotta e Ricardo Júnior de Souza
Gols: Robinho, aos 13 minutos do primeiro tempo, Elias, aos 24 minutos do segundo tempo (Atlético); Ramon Ábila, aos 7 do segundo tempo
Cartões amarelos: Hudson, Rafinha (2), Raniel (Cruzeiro); Elias, Carioca, Adilson (2) (Atlético)
Cartões vermelhos: Rafinha (Cruzeiro); Adilson (Atlético).

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leo Silva, Gabriel, Fábio Santos, Rafael Carioca, Elias (Danilo), Adilson, Robinho (Cazares), Otero (Maicosuel), e Fred. Técnico: Roger Machado.

CRUZEIRO: Rafael, Mayke, Léo, Caicedo, Diogo Barbosa, Henrique, Hudson (Ramon Ábila), Thiago Neves, Rafinha, Arrascaeta (Raniel) e Rafael Sóbis (Alisson). Técnico:Mano Menezes.

Virando a página: Voltamos a atenção para a Sulamericana. Enfrentaremos o Nacional do Paraguai no dia 10/05 no Defensores del Chaco. Apesar da fragilidade do adversário, a Raposa deve estar atenta, esquecer o revés deste domingo e buscar o que realmente importa na temporada. Até lá, China Azul!

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr