Fazendo as Contas: Vitórias como visitante sempre significam alívio

A 27ª rodada foi cruel com o coração cruzeirense. Por poucos minutos, é verdade, mas a Raposa chegou a entrar na zona de rebaixamento até Fabiano abrir o marcador para o time celeste na vitória sobre a Chapecoense.

O drama era grande, pois nada menos que seis dos dez últimos venceram na rodada. Feito inédito no returno, onde apenas uma vez mais que três haviam vencido na mesma jornada (quatro venceram na 25ª rodada). Mas alguns detalhes mostram que o torcedor cinco estrelas tem mais motivos para sorrir após esta disputa do que para se preocupar.

Além de saltar para a 13ª colocação, a Raposa vê adversários que pareciam seguros entrarem em sua alça de mira. A 9ª colocação está a apenas 5 pontos do time cinco estrelas e Atlético-PR, Sport e Fluminense, derrotados na rodada, se tornam rivais na disputa para fugir do Z-4.

O fato de cinco dos dez últimos terem vencido como mandantes também não é nenhum fim do mundo. Eventualmente os rivais vencerão. Todavia, apenas o Cruzeiro venceu como visitante. De quebra, um rival direto. A Chapecoense, nova habitante do Z-4 e que não vence tem 8 rodadas.

Fato é que a briga para não cair começa hoje, no mínimo, no Atlético-PR e que vários dos adversários não vivem boas sequências. Além do Furacão, que não vence a 6 jogos, e da Chapecoense, Sport, Fluminense e Figueirense estão em queda livre, além da situação dificílima de Vasco e Joinville.

Devido a isso, o site chance de gol, reconhecendo a relevância de uma rodada em que seis dos dez últimos vencem, até ampliou a pontuação de corte para permanecer na Série A de 42 para 43 pontos, mas segue apontando que os famosos 45 serem a nota de corte é algo ainda improvável (menos de 5% de chance disso ocorrer).

Assim sendo, a Raposa, que não precisa mais vencer como visitante para cumprir a meta desde que faça o dever de casa, descontou 2 dos pontos que ainda precisa obter nos jogos como mandante. Com isso, o time celeste terminou a rodada ganhando o “direito” de perder dois dos confrontos que deveria empatar no Mineirão, desde que vença 3 e empate mais 1, para atingir a meta. A situação segue administrável.

Meta: Subiu de 42 para 43 pontos
Aproveitamento necessário: Subiu de 30,8% para 33,3% (superior aos 29,5% do Joinville, atual 19º colocado)

Resultados almejados: 3 vitórias, 1 empate e 7 derrotas

Chances de título ou Libertadores atingindo esta meta: Impossível.

Chances de permanecer na Série A atingindo esta meta: Superiores a 70%

Chances de título do Cruzeiro: Seguem inferiores a 0,01%.

Chances de Libertadores do Cruzeiro: Subiram de 0,01% para 0,05%.

Chances de ficar no meio da tabela: Subiram de 89,88% para 95,94%

Chances de rebaixamento: Caíram de 10,1% para 4,0%.

Tabela restante

Coritiba (C) – 3 pontos

Grêmio (C) – 0 pontos

Atlético-PR (F) – 0 pontos

Fluminense (C) – 3 pontos

Goiás (F) – 0 pontos

Avaí (F) – 0 pontos

São Paulo (C) – 0 pontos

Sport (C) – 1 pontos

Palmeiras (F) – 0 pontos

Joinville (C) – 3 pontos

Internacional (F) – 0 pontos

Por: João Henrique Castro