Falem mal do Cruzeiro, por favor (Flamengo 2 x 0 Cruzeiro – Camp. Brasileiro – 33ª rodada)

Salve, guerreiros!

O que acontece com esse time do Cruzeiro é algo difícil de explicar. Uma partida boa contra o Palmeiras em São Paulo, depois uma partida ruim, mas com vitória sobre o Atlético Pr em casa, e por fim, uma partida pífia contra o Flamengo na noite desta quarta no Rio de Janeiro. O que aconteceu com a diferença de motivação entre o jogo em São Paulo e o do Rio de Janeiro? Em São Paulo, todo imprensa paulista na sanha de “colar” o Palmeiras no líder Corinthians, esqueceu da tradição e da grandeza da Raposa. Trataram o Cruzeiro como um time derrotado antes, bem antes do juiz apitar o início dos noventa minutos. Mano, que não é bobo, tratou de usar vídeos disto na preleção a fim de motivar o Cruzeiro. Concluo então que deveriam tratar o Cruzeiro como um zero a esquerda toda semana, para ver se Mano consegue extrair brios desses caras. Mas, já que isso não vai acontecer sempre, falo mal eu mesmo então.

O jogo

Que partida patética do Cruzeiro! Não construiu uma só jogada de ataque no primeiro tempo, e, como consequência, não finalizou uma única vez. Onde que Rafael Marques é jogador para envergar o manto mais bonito do Brasil? Talvez num daqueles mundos paralelos das séries “netflixnianas”. O que falar de Ezequiel? Não marca, não ajuda na frente, não cruza, e quando o faz erra. Mais um gol sofrido pelo seu lado. Um lampejo de algo no segundo tempo, mas aí, o “jênio” Menezes pensa que Élber é solução para alguma coisa. E para finalizar, o Cruzeiro se ressente muito, mas muito mesmo, do uruguaio De Arrascaeta.

Primeiro tempo

Vou resumir o primeiro tempo em apenas um nome: Rafael Marques.

Segundo tempo

Olha! Entendam uma coisa: O Cruzeiro provou ontem do seu próprio veneno. Jogou contra um time em vantagem, fechado na defesa explorando contra-ataques. Isso significa o seguinte, não foi o Cruzeiro que melhorou no segundo tempo. Foi o Flamengo que abdicou de jogar e “chamou” o Cruzeiro para cima, mas nem assim, a Raposa teve eficiência em finalizações, aliás, nem construção de jogadas sequer. As únicas finalizações vieram de fora da área e não ameaçaram o meta defendida por Diego Alves.

Sobis, ao menos, é mais participativo que Rafael Marques. O segundo, nem sequer ouvi a narração chamar seu nome. Só quando a competente repórter Julia Guimarães anunciou sua saída é que ele foi citado, e digo mais, foi a melhor coisa do jogo do Cruzeiro. Obrigado, Juju! Élber mais uma vez entra apenas para demonstrar que não tem mais condições. Eterna promessa, só que de político brasileiro, nunca é cumprida. Alisson não foi nem sombra do atleta que vinha tão bem há alguns meses.

Thiago Neves, caçado em campo, nada pode fazer. Jonata, ao menos mostrou luta para quem está pedindo passagem, mas ficou muito preso no meio dos zagueiros rubro-negros. Enfim, não dá para aliviar ninguém, portanto, não teremos Guerreiro de ouro na coluna de hoje, mas, claro que teremos Guerreiro de lata. Rafael Marques pela total inoperância. Não marca, não chuta, não volta para buscar jogo, não domina… devolvam para o Palmeiras rápido, antes que Mano coloque esse embuste em campo outra vez.

Se alguém encontrar por aí um colírio de “desver” o jogo, me arrume.

Ficha técnica

Flamengo 2 X 0 Cruzeiro

Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 08/11/2017 (quarta-feira)
Local: Estádio Luso Brasileiro, no Rio de Janeiro-RJ
Renda: R$ 209.100,00
Público: 5.910
Gols: Everton, aos 36 minutos do 1º tempo; Vinícius Júnior, aos 48 minutos do 2º tempo
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho – SP (CBF)
Flamengo: Diego Alves; Pará, Rhodolfo, Rafael Vaz e Renê; Willian Arão, Cuellar, Éverton Ribeiro (Rodinei) e Everton; Lucas Paquetá (Vinícius Júnior) e Vizeu. Técnico: Reinaldo Rueda
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Romero, Robinho (Jonata) e Thiago Neves; Alisson (Elber) e Rafael Marques (Rafael Sóbis). Técnico: Mano Menezes
Cartões amarelos: Lucas Paquetá, Rhodolfo (Flamengo); Henrique, Manoel, Rafael Sóbis (Cruzeiro)

Agora é juntar os cacos da derrota no Rio, receber outro carioca no Mineirão. Dessa vez o Fluminense e espero que os atletas tenham ao menos vergonha na cara da apresentação pífia desta quarta, e deem a resposta com uma vitória. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr