Entrega as taças?

Este título teve a intenção de ser chamativo. É um puro e honesto clickbait, não me odeie. O título e a imagem acima mostram que a ideia aqui é apenas analisar o elenco cruzeirense, as opções de Mano Menezes e a perspectiva do time para 2017. A reapresentação será na próxima segunda-feira e aí sim, começa o trabalho duro para que, finalmente, voltemos a ter time. Vale ressaltar que os jogadores marcados com a sinalização vermelha são nomes que provavelmente não integrarão o plantel, mas que por ainda não terem o futuro definido, estão listados.

Não estão listados o zagueiro Rafael Donato, o lateral-esquerdo Pará e os meias Caíque Valdívia e Luiz Fernando, porquê são jogadores que não foram nem cogitados no novo Cruzeiro. O lateral Fabiano, o volante Bruno Edgar e o meia Gabriel Xavier tem negociações adiantadas com outros clubes, mas ainda não foram anunciados oficialmente. Gino, Williams, Mena, Pisano, Bruno Nazário e Joel parecem aguardar algum novo clube para saírem por empréstimo, mas tem remotas chances de serem aproveitados, caso Mano Menezes queira.

Tirando todos estes jogadores com futuro indefinido, podemos dizer que o elenco do Cruzeiro se resume a 31 jogadores. 4 goleiros, 5 zagueiros, 2 laterais direitos, 3 laterais esquerdos, 5 volantes, 8 meias e 4 atacantes. Claro que alguns atletas são polivalentes, podendo atuar em duas ou mais funções. Mas fazendo uma observação simplória, sem considerar problemas físicos, nosso treinador tem um elenco de boa qualidade e diversidade na maioria das posições.

No gol, a titularidade começa com Rafael. A partir de fevereiro, quando estima-se a recuperação total de Fábio, haverá uma disputa pela posição. Espero que haja de fato uma competição e que Fábio retorne ao 11 apenas se tiver desempenho melhor que Rafael nos trabalhos, sem uma garantia de posição pelo nome ou pela história. Rafael fez um ótimo 2016 e nos trouxe garantias de ter dois goleiros em condição de titularidade. Lucas França foi bem nas oportunidades que entrou no ano, mostrou segurança e um pouco de sorte. E Lucão é uma promessa que disputaria a Copa São Paulo, mas subiu ao principal a pedido de Mano.

As laterais foram o ponto de maior questionamento em 2016. Mayke sofreu muito com lesões e esteve muito pouco em campo. Lucas, emprestado pelo Palmeiras, não se encontrou. E Ezequiel chegou já no fim do ano, começou tímido mas encerrou bem a temporada, até marcando gol. Mayke e Ezequiel são duas boas opções para a disputa pelo setor, mas é essencial que Mayke esteja com saúde. O setor pode contar ainda com a improvisação de jogadores como Romero, Caicedo, Hudson e Henrique. Entendo não haver uma contratação para o setor, embora o nome do nosso ex-lateral Maicon me agradasse.

Para a esquerda, o time conta com diversas opções, mas nenhuma de grande destaque. Diogo Barbosa foi contratado junto ao Botafogo e chega com pecha de titular. Precisa mostrar bola para se garantir. Edimar e Bryan são as outras opções do setor. O primeiro chegou como um nome a melhorar a marcação pelo lado e até conseguiu isso em um primeiro momento. Mas tecnicamente, não agrada e a bola parece ser uma inimiga feroz. Bryan tem mais predicados ofensivos, mas precisa evoluir muito seu senso tático e de marcação. Mena, o que melhor marca, ocupa uma das vagas de estrangeiro e tem salário alto. Não deve ficar.

A zaga conta com 5 nomes que considero interessantes. Léo e Manoel são remanescentes das últimas temporadas e tem experiência e qualidade comprovada. Vão seguir ajudando muito o clube. Dedé é um dos melhores zagueiros do futebol brasileiro, mas levanta suspeitas devido aos 2 anos sem conseguir jogar regularmente. Caso esteja 100% recuperado, eleva muito nosso nível. Caicedo foi contratado por ser um zagueiro rápido e de destaque no futebol equatoriano. Deve receber chances e representa melhoria no elenco. Murilo subiu da base para suprir a saída de Fabrício, emprestado a Chapecoense. Não tenho preocupações no setor.

 Na volância, temos 5 alternativas certas. Henrique, Romero, Ariel (remanescentes de 2016), Hudson, recém-chegado do São Paulo, e Lucas Ventura, oriundo da base. Vejo Henrique e Hudson disputando uma posição como primeiro volante e Romero/Ariel seguindo sua disputa pela vaga de maior saída. Lucas começa como um reserva que deve entrar em alguns jogos de menor porte. Vejo um setor muito melhorado, nem tanto pelas contratações, mas pela saída de Bruno Edgar e Gino, atletas que não se mostraram prontos. Não acho uma boa reintegrar Williams, pelos problemas extra-campo e a irresponsabilidade mostrada na cancha, na forma de incontáveis cartões.

Acredito que Mano inicie 2017 com o Cruzeiro nesta formação

Acredito que Mano inicie 2017 com o Cruzeiro nesta formação: com os meias tendo liberdade para se movimentar

O setor de armação é o mais recheado, contando com 8 atletas disputando 3 vagas. Vejo Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta como os prováveis titulares no início do trabalho, até pelo nome (caso do novo contratado) e pelo desempenho em 2016. Élber e Alisson brigam por espaço para jogar pelos lados, assim como Rafinha. Marcos Vinícius e Alex encerram o leque de boas opções para o setor, repleto de jogadores jovens e de bom potencial. Acredito que vamos sofrer menos para criar ocasiões, como vimos em 2016 desde o Mineiro. Gabriel Xavier está quase certo no Vitória, Pisano e Bruno Nazário tem futuro indefinido. Acredito que os 8 candidatos atuais são o suficiente para um bom ano.

No ataque, muita dúvida. Willian é o preferido de Mano, mas Sóbis (que também pode jogar como meia) fechou o ano na titularidade. Ábila é disparado o melhor no quesito marcar gols, mas contribui pouco no momento defensivo e não conta com grande simpatia do treinador. Eu escolheria Ábila para titular, simplesmente porquê se for bem municiado, ele marcará muitos gols. Judivan retorna às atividades com o grupo em meados de 2017 e tenho muita esperança em uma plena recuperação. É a melhor das opções em potencial demonstrado. E o camaronês Joel deve ser reemprestado, embora eu pensaria bem em aproveitá-lo caso Willian ou Ábila sejam negociados, como é muito falado.

Encerrado aqui um panorama bem geral do Cruzeiro 2017. Claro que o “entreguem as taças” é um exagero imenso, mas não vejo clubes brasileiros com trabalhos melhor desenhados que o nosso. O Palmeiras tem um elenco melhor, mas passa por uma readaptação por um novo treinador. Flamengo e Atlético-MG são outros oponentes com bons planteis, mas nada que assuste. Com um bom trabalho de pré-temporada e uma boa sintonia entre jogadores, torcida e comissão técnica, eu acredito neste Cruzeiro para conquistar títulos e nos dar orgulho no novo ano. E você?

Por: Emerson Araujo