Empata mais que tá pouco! (Cruzeiro 0 x 0 Botafogo – Campeonato Brasileiro 19ª rodada)

Salve, guerreiros!

Nunca vi o Cruzeiro ter tanta dificuldade para fazer gols jogando no Mineirão. Já é o segundo empate sem gols como mandante. Isso sem contar a derrota para Chapecoense também em seus domínios sem marcar. Um mísero 1 x 0 já me deixaria muito satisfeito. Foram várias oportunidades perdidas, bolas na trave, ao menos o Cruzeiro está propondo o jogo, algo que a torcida cobrou bastante no início da competição. Assim sendo, começa a dúvida a remoer nossa cabeça, reativo com vitórias, ou pró-ativo com empates como o de ontem? Chego à conclusão que devemos é deixar o Mano fazer o trabalho dele, com suas convicções. Ao menos até o fim desse ano. É esperar que uma nova diretoria traga um fôlego novo, e acerte mais do que erre.

Confesso aos amigos leitores que estou jogando a toalha. Não dá mais para alimentar a esperança que o Cruzeiro alcance algum objetivo esse ano. Todas as vezes que o time teve a chance de encaixar uma série e melhorar sua posição na tabela, vacilou. Apenas uma vez em dezenove rodadas a Raposa conseguiu duas vitórias em sequencia. Fica muito difícil se a bola não começar a entrar. A vitória contra o Vasco na última quinta foi um ponto fora da curva. Não conseguimos fazer um gol no reserva do Botafogo!

O jogo

Na coluna de hoje, nem vou dividir em tempos distintos. O Cruzeiro dominou o Botafogo durante grande parte do jogo. O Botafogo limitou-se aos contra-golpes, e levou perigo apenas em dois lances. Nos demais, a zaga e a “volância” celeste fizeram uma partida irrepreensível, inclusive o Léo. Lucas Silva mais uma vez fez um jogo muito bom, entretanto, Nonoca cometeu uma falha que gerou um contra-ataque perigosíssimo. No mais, não comprometeu.

Do meio para a frente é que a coisa complica. Rafinha não ajuda em nada. Não apresenta uma jogada de perigo ao adversário, vou além, ainda mata a maioria das jogadas que passam por ele, um a menos. Alisson recebeu um lançamento, entrou de cara com Gatito e? Resolveu passar uma bola que qualquer atacante fecharia o olho e daria no gol sem piedade.

Outro fator nulo no Cruzeiro é a bola parada. O gol de Thiago Neves quinta passada foi sem querer. Talvez nossos atletas devam treinar para isso, errar os gols. As falhas de finalizações são tantas que parece que se eles tentarem errar, podem acabar acertando. Guerreiro de Ouro hoje mais uma vez fica com Lucas Silva, dono do meio campo celeste. Guerreiro de lata vai para Rafinha. Fora a bola na trave no primeiro tempo, o jogador não fez absolutamente nada. É daqueles que podia ser dispensado pelo Mano, mas, acabou dispensando o jogador que apesar de ter saído, ainda é o artilheiro do time no ano.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO 0 X 0 BOTAFOGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 6 de agosto de 2017 (Domingo)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Fabio Pereira (TO)
Cartões amarelos: Sassá, Lucas Silva, Diogo Barbosa (Cruzeiro); Dudu Cearense, Leonardo Valencia, Emerson Santos (Botafogo)

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Nonoca (Robinho), Lucas Silva, Rafinha (Rafael Sobis), Thiago Neves e Alisson (Raniel); Sassá.

Técnico: Mano Menezes

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Emerson Santos (Renan Fonseca), Marcelo, Emerson Silva e Gilson; Dudu Cearense, Rodrigo Lindoso, Bruno Silva e Leonardo Valencia (Marcos Vinícius); Guilherme e Brenner (Vinícius Tanque).

Técnico: Jair Ventura

Vai começar o returno, e o desafio celeste já é enorme. Vencer o desesperado São Paulo no Morumbi. A questão é, sempre temos dificuldade com o Tricolor paulista, por outro lado, temos somado mais pontos fora de casa. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr