…e nós achávamos que não podia ser pior (Internacional 1 x 0 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 37ª rodada)

Salve, guerreiros!

É nação azul! Triste constatar isso, mas, quando pensávamos que dois mil e dezesseis tinha acabado no que tange a desgostos e decepções com o Cruzeiro, ele consegue se superar e nos “brindar” com a atuação patética de ontem. Conseguiu um feito que pouquíssimos times tiveram a capacidade de alcançar: perder para o ridículo time do Internacional de Porto Alegre. Sinceramente, desanimei para dois mil e dezessete já! Mano Menezes e sua insistência com o “homem não gol” Willian, Alisson, cujo nome mal se ouviu durante o jogo, Sobis, e sua inoperância, nem de longe lembrando o jogador de outrora. As laterais inexistentes e a falta de perspectiva de uma renovação no elenco não me permitem alimentar boa expectativa. O Internacional fez força para cair durante todo certame Dificilmente, deve livrar-se, pois ainda depende do Vitória ter dois resultados negativos (O Rubro-negro baiano joga nessa segunda), entretanto, a Raposa generosa manteve vivas as esperanças coloradas com uma atuação pífia. Graças a Deus já não corremos mais riscos, porque senão, o coração estaria aflito ao invés de indignado como está agora.

O jogo

A Raposa não parecia muito disposta a vencer a partida. Um arremedo de jogadores que o Mano leva a campo, sem Henrique e De Arrascaeta. O meio campo marca mal e não produz nada. Enquanto do outro lado, um Inter desesperado por um gol cedia preciosos contra-ataques que iam sendo desperdiçados em sua maioria pelas falhas de Willian. Anteriormente eu creditava ao jogador uma “mas fase”, agora, penso que ele nem deveria ter se tornado jogador de futebol. Não finaliza bem, não consegue dominar a bola e quando consegue, tropeça nela na sequência. Me ajudem a entender o que o treinador celeste quer que aconteça para ele perceber que o Willian não tem condições nem pra jogar casados contra solteiros?

Outra que coloco na conta do chefe, é a entrada de Marcos Vinícius somente aos quinze minutos do segundo tempo. Foram sessenta minutos em que o Cruzeiro não tinha alguém para pensar o jogo. Esse setor da equipe não funcionou, a transição se dava prioritariamente pelas laterais, ora com Bryan e Alisson, ora com Ezequiel e Sobis. A bola só chegava na frente nas falhas do Inter quando a perdia para o Cruzeiro. Com o cartão amarelo, Bryan é sacado no intervalo para entrada de Edimar e nada mais acontece pelo lado esquerdo do campo, um inútil. Mesmo com a entrada de Marcos Vinícius por ali, as jogadas simplesmente não funcionam.

O Internacional acua o Cruzeiro em seu campo, que continua falhando em concluir em gol nos contra-golpes. Falando nisso, uma jogada individual fatal de Valdívia que faz todo o serviço, avança com a bola desde a defesa até a entrada da área celeste sem ser incomodado por ninguém finalizando sem chance de defesa para Rafael. A partir daí é que a Raposa coloca a bola no chão e começa a mostrar-se como um time. Ábila que havia entrado como referência fazendo pivô, puxando a marcação já dá cara nova ao ataque celeste, mas perde chance de gol incrível no final da partida. Robinho também havia feito isso minutos antes. Foram as melhores chances criadas, não em erros do adversário como as que Willian havia perdido na primeiro tempo.

O time se organizou melhor com Ramón em campo, somente Mano Menezes não enxerga isso? Ou há alguma coisa por traz que não sabemos? Se for o caso, não precisamos de treinador caso ele se veja obrigado a seguir orientações de fora. Entretanto, isso é outro assunto sobre o qual não se deve falar sem poder provar, fica no campo da especulação. Por conta de tantos erros na montagem do time, Mano Menezes fica com nosso “Guerreiro de lata” de hoje. O “Guerreiro de ouro” vai para Rafael que tem jogado com bastante maturidade, volto a afirmar, Fábio só retoma a posição se for com o nome.

Atenção Gilvan e companhia: Espero que o jogo de ontem lhes sirva de lição para entender que nosso elenco é fraco, cheio de carências em várias posições, a começar pelas laterais. Se reforçar meia boca com jogadores de qualidade duvidosa como fizeram no início desse ano, em dois mil e dezessete poderemos ser nós no lugar do Inter. Nos deem um time de qualidade, porque nossa torcida, não costuma errar!

FICHA TÉCNICA
INTER X CRUZEIRO

Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data-hora: 27/11/2016 – às 17h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa/SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Público/Renda: 25.352 pagantes (28.064 total) / R$ 384.800,00
Cartão amarelo: Seijas, Danilo Fernandes (Inter); Bryan, Manoel, Rafael (Cruzeiro)

Gol: Valdívia – 30’/2ºT (1-0)

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Geferson (Vitinho – 30’/1ºT); Anselmo, Rodrigo Dourado (Valdívia – 15’/2ºT), Alex, Seijas (Ariel Nahuelpan – 25’/2ºT) e Anderson; Nico López. Técnico: Lisca Doido.

CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Léo, Manoel e Bryan (Edimar – Intervalo); Lucas Romero, Ariel Cabral (Ramón Ábila – 25’/2ºT), Robinho e Alisson; Rafael Sóbis e Willian (Marcos Vinícius – 15’/2ºT). Técnico: Mano Menezes.

A Raposa fecha o brasileiro contra o Corinthians em casa, mas não esperem comparecimento maciço da China Azul, estamos muito desapontados para cumprir tabela contra o time paulista depois do vexame de ontem. Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr