Derrota Previsível

Salve Guerreiros e Guerreiras! Infelizmente temos que admitir que algumas derrotas são plenamente previsíveis para o nosso time, ainda mais fora de casa. Parece que existe uma rejeição do nosso técnico com a “simplicidade” do futebol. A derrota de 3 x 0 para o São Paulo ontem, no Morumbi ficou de bom tamanho,porque tínhamos sacola para trazer mais. Eles nos venceram, e com menos sufocoquepassaram aqui no Mineirão quando os vencemos na última quarta pela Libertadores.

Sempre que vejo os relacionados para os jogos, já penso em quem vai ser cortado… QuandoBernardo está na lista, ele é uma certeza… Fica a dúvida no porque, mas é de praxe no nosso time privilegiar quem está mal, com a esperança de que um dia engrene. Só matuto o outro, quando o grupo é de 20 jogadores, mesmo não tendo nenhum armador no time, situação que tem irritado a 99% da torcida, mas como as vezes, na sorte, e contra times fraquíssimos vencemos,o técnico segue escalando 4 volantes.

Contra o São Paulo, era o jogo de ir pra cima deles, pressioná-los para que tivessem uma prévia do que será dia 17,no jogo de volta pelas quartas de final da Libertadores. Foi o contrário, nós tivemos a prévia do sufoco que passaremos. Mas não…entramos com 4 volantes, situação esta que me permite as seguintes observações:Ramires nunca será armador, visto que não sabe enfiar uma bola entre os zagueiros e colocar um atacante na cara do gol, deveria ficar no banco, e só entrar se precisássemos pra mudar alguma situação adversa, já que ficaremos sem ele mesmo. Seu forte é a chegada de trás, caindo pelas pontas como se fosse um lateral. Quando recebe a bola já na intermediária, não sabe o que fazer, a não ser tocar de lado,já que nessa posição a marcação já está em cima dele, ou seja, além de perdermos sua qualidade da chegada de trásperdemos na armação, vale lembrar que após sua venda não põe o pé em nenhuma dividida, digamos que jogamos com 2 a menos no meio… Os atacantes correm de um lado pro outro, tem que vir ao meio buscar a bola. Pouco produzirão sem o camisa 10 nato.

Com essas mudanças que só são boas para o time na cabeça do técnico, o futebol do Fabrício que estava ruim, ficou péssimo, o do Paraná que era excelente, irretocável, passou a ser regular.Henrique, que na minha opinião há muito tempo já vem jogando melhor que o Fabrício voltou a ser o Henrique de sempre,perdendo bolas bisonhas e sem saber que espaço ocupar em campo. Somos extremamente dependentes do Wagner.

Kléber segue sendo caçado em campo sem qualquer piedade da arbitragem, mas não se esconde. Não estou fazendo análises táticas profundas, somente observações que qualquer um vê. No primeiro gol,Fábio não saiu, mesmo vendo a dificuldade dos marcadores com o grandalhão Washington.

Em suma, com 90% de indignação e 10% de esperança na classificação dia 17 (caso tenhamos uma escalação como o de ontem)…

Entregamos ao São Paulo a confiança que precisavam de saber que podem nos vencer e ainda fazer muito além dos 1 x 0 que lhes já é suficiente pra classificar… A torcida deles irá em peso, certa de que o Cruzeiro sempre entrega pra eles em momentos decisivos.

É aguardar a Libertadores, e torcer por uma recuperação contra o Inter para nos manter na tábua de cima da classificação no brasileirão 2009.

Até apróxima!
Grande abraço!