De quem é a culpa então? (Avai 1 x 0 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 16ª rodada)

Salve, guerreiros!

Cansado das avaliações do Mano e dos atletas do Cruzeiro a respeito dos jogos celestes. Insistem em testar nossa paciência com declarações do tipo: “O Cruzeiro jogou bem”, “Estamos no caminho”, “O Cruzeiro está crescendo”… O que estou vendo, é um time que teve a chance de liderar o certame nas primeiras rodadas, cair como um bigorna pela tabela abaixo, perdendo pontos dentro de casa, e deixando de vencer adversários que, em tese, figurarão na parte debaixo da classificação. Nisso, o Bi-campeão de 13/14 era implacável! Em 2013 alcançou o feito de vencer todos os demais 19 adversários na competição, algo nunca realizado por time algum.

O jogo

O Cruzeiro teve domínio absoluto da partida. Tem melhor scout que o Avaí em todos os quesitos, exceto o que importa: O gol. Precisamos dar mérito ao bom goleiro avaiano que fechou sua meta apesar do vareio de bola celeste.

Primeiro tempo

Cruzeiro pressiona o Avaí desde o início da primeira etapa. Cria sucessivas oportunidades de gol, mas não acerta a meta, e quando acerta, o goleiro Douglas, iluminado, defende até intenção. O Avaí chega uma vez, e como a defesa do Cruzeiro parece uma prostituta, vai logo se abrindo. A impressão que dá, é que se o Avaí quisesse propor o jogo, golearia fácil.

Segundo tempo

Água mole em pedra dura… dessa vez venceu a pedra. Foram mais 45′ de tentativa e erros sucessivos do nosso ataque (nem vou “viuvar” o artilheiro negociado na semana passada). Sassá, é tão grosso quanto o argentino que se foi, apanhou da bola o jogo todo. Não aprendeu, continua “fominha”. Mais um vez tinha companheiro melhor colocado em alguns lances e decidiu finalizar sem direção. O Mano Menezes então pensa ser a solução o Rafael Marques (suspiro)… Está difícil!

Pior, minha expectativa é de eliminação na próxima quarta diante do Palmeiras. Não poupou o time, perdeu o jogo e agora vai quarta pra decisão mais importante do ano até aqui. E, se eu me enganar e o time se classificar, não acredito em título. Guerreiro de lata fica com Rafael Sobis, inoperante, um a menos em campo. Aliás, com Élber, são dois a menos, entretanto, Élber ao menos participou de algumas jogadas. Guerreiro de ouro, vou dar para De Arrascaeta por seu retorno. Deveria ter iniciado a partida, o que, em minha opinião, foi mais um erro crasso do “treineiro”.

Vamos à questão inicial: De quem é a culpa? Vou dar-lhes duas opções para debatermos:

Opção 1: Mano Menezes. Escala mal, mexe mal e é responsável por um esquema, apesar de ontem ter buscado vencer, que fere a história celeste. Há, consequentemente, uma perda da identidade cruzeirense, de bons times que buscam sempre a vitória.

Opção 2: Os Atletas. Estão em uma preguiça de jogar futebol, principalmente aqueles que têm mais nome. Deveriam puxar a molecada e fazer desse time uma equipe vencedora, mas fica sempre uma sensação de “tanto fez, tanto faz” quando ouvimos o discurso que vem após cada mau resultado, como já salientamos no primeiro parágrafo.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 1 X 0 CRUZEIRO

Motivo: 16ª rodada –  Campeonato Brasileiro 
Local: Estádio da Ressacada, Florianópolis (SC)
Data-Hora: 23/7/2017 – 16h
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
Cartões amarelos: Simião e Judson (AVA)
Gols: Júnior Dutra (21’/1ºT)(1-0)

AVAÍ: Douglas; Leandro Silva, Alemão, Betão e João Paulo; Judson, Simião (Lucas Otávio, aos 16’/2ºT), Pedro Castro e Juan (Romulo, aos 22’/2ºT); Junior Dutra e Joel (Williams, aos 39’/2ºT).

Técnico: Claudinei Oliveira.

CRUZEIRO: Fabio; Lucas Romero, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva (Arrascaeta, aos 12’/2ºT), Élber e Thiago Neves (Rafael Marques, aos 34’/2ºT); Rafael Sóbis e Sassá (Raniel, aos 30’/2ºT).

Técnico: Mano Menezes

Agora é pensar no confronto contra o Palmeiras. Para reavivar a memória dos amigos leitores, empatamos em 3 gols após estar vencendo por 3 x 0 no primeiro jogo. Como disse acima, estou esperando o pior. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr