Os planos para 2009

O ano sempre começa com festa para o Cruzeiro. Hoje, ao apagar as velinhas por comemorar mais um aniversário, o clube pode fazer os pedidos para toda a temporada. Ao longo de 88 anos, a maioria deles foram atendidos.

 

Nos últimos tempos, a média do Cruzeiro na conquista de títulos é de dar inveja a muitos times. Em 2009, a torcida espera que não seja diferente. E a diretoria garante trabalhar forte para que ao fim da temporada, a Raposa tenha mantido a teórica de levantar pelo menos uma vez por ano algum caneco.

Firme nesse desejo, o clube agiu rápido. Antes mesmo da temporada passada acabar, a permanência de Adilson Baptista já havia sido confirmada. Como planejamento é alma do negócio, o time celeste larga na frente. Enquanto a dança dos técnicos acontecia país a fora, o Cruzeiro optou por manter aquele que o levou ao título de Campeão Mineiro em 2008.

Conquistar o bi estadual, no entanto está longe de ser o maior desafio para 2009. Para essa temporada, o clube tem desejos mais ambiciosos. O maior deles, é o tri-campeonato da Libertadores da América. Para conseguir os feitos já conquistados em 1976 e 1997, o time agora conta com a experiência de ter ido a Libertadores do ano passado e, mesmo sendo eliminado precocemente, ter aprendido com os erros cometidos naquela edição. Já se o problema for entrosamento, os comandados de Adilson não terão do que reclamar. Afinal de contas terão o Torneio Verano neste mês. Competição, encarada como uma pré-temporada de luxo, o time disputará com ninguém menos que Peñarol, Nacional e o seu maior adversário, o Atlético-MG, o titulo do torneio.  

Depois disso, a Raposa terá que matar um leão a cada campeonato que ainda vai disputar, depois ou paralelamente a Libertadores. O primeiro desafio é o campeonato mineiro, onde apesar de levar desvantagem sobre o maior rival no número de títulos, conseguiu diminuir muito a diferença nas últimas temporadas. São 35 conquistas numa competição em que sempre entra como favorito. A estréia este ano acontece contra o Uberlândia no Parque do Sabiá.

Além desses torneios, o clube disputará o Campeonato Brasileiro. É com erros da temporada passada que o time também espera tirar lições. Vencer em casa o Cruzeiro tem conseguido. O problema é quando joga fora. Sua última vitória foi contra o Figueirense, dois meses e meio antes de acabar a edição passada do Brasileirão. Depois disso, foram cinco jogos longe da torcida e nenhuma vitória : motivos para deixar a China Azul preocupada. Mas como cada ano reserva sua história, as coisas podem definitivamente mudar na temporada que se inicia.

Perto ou longe de casa, o fato é que em ano de crise-financeira, quem mantiver a regularidade no elenco e entrosamento  vai sair ganhando no futebol. As dificuldades em caixa devem obrigar muitos times a ter que negociar seus principais atletas. Com isso a estrutura tática e técnica das equipes se modifica. Melhor é ver os adversários nessa hipótese e enfraquecidos, do que apelar pra ela e ficar fraco. Manter o elenco, aliás tem sido um dos grandes problemas do Cruzeiro nos últimos anos. Em 2008, precisou vender Marcelo Moreno e Charles e, não conseguiu trazer jogadores que pudessem com grande qualidade suprir a ausência de ambos.

Novo ano e o Cruzeiro agora tem a chance de escrever uma nova página de sua história repleta de glórias. Resta saber se vai aproveitar a chance de ter um feliz 2009.