Cruzeiro novamente faz de tudo para ficar longe do G-4

Salve nação estrelada! O Cruzeiro empatou mais uma vez fora de casa em uma partida praticamente ganha. Sofreu um gol nos acréscimos por falta de atenção de seus atletas e perdeu grande oportunidade de passar para a metade de cima da tabela do brasileiro.  A rodada foi excelente para o Cruzeiro, já que a maioria dos adversários à sua frente tropeçaram, mas como não fez sua parte ocupa a 11ª colocação. Se vencesse estaria em 9º. 

Como era previsto, foi uma partida bem disputada, sem jogadas de tanto brilho, principalmente pelo lado do Cruzeiro. O Avaí sempre chegava com perigo, mas concluía mal. O Cruzeiro tentava sair rapidamente nos contra ataques, mas sua válvula de escape das últimas partidas foi sabiamente anulada pelo técnico Sillas: O lateral Diego Renan ateve-se a marcar na partida, e nas poucas subidas ao ataque foi parado com duras faltas.

No meio de campo um perde-ganha e muitas faltas. O Cruzeiro sofreu durante toda a partida com a falta de jogadas no ataque já que além de Thiago Ribeiro pouco inspirado, Wellington Paulista que voltava de longo período de inatividade por contusão, não se encaixou na partida. Vale lembrar, que nas últimas partidas do Cruzeiro se Gilberto e Diego Renan não jogam bem, é sinal de fiasco. Os demais atletas não conseguem criar situações de gol, são extremamente dependentes dos dois.

Certa de que um 2 x 2 nas circunstâncias que foram é derrota, credito 80% do resultado ao Sr. Adílson Batista. É uma sacanagem com o torcedor colocar Soares pra atuar, ainda mais que sua última partida com titular foi horrorosa contra o Internacional. O Guerrón, por mais que não marque, seria a substituição mais correta. E se ele pretendia armar uma retranca, que sacasse os dois atacantes deixando somente o Guerrón na frente já que o Wellington nada acrescentava.

Aí ele saca o Gilberto e coloca o Patric, pensei, o Diego Renan, com sua qualidade ofensiva jogará no meio, posição em que já atuou na base. Mas não. Jonathan ocupa a vaga do nosso camisa 10. É dureza demais pra 7 milhões de cruzeirenses! Deixa ele jogar seu feijãozinho com arroz lá na direita. Mas função de armador, pelo amor de Deus Adílson: Nãaaaaao!

Logo, preparei-me para o pior. O Cruzeiro chamou o Avaí para o seu campo, e pra quem entende de futebol, tomar um gol seria questão de tempo. O time não tinha um atacante veloz que pudesse segurar a bola pelos lados do campo, já que o Soares, mesmo descansado não conseguia dominar uma bola, não serviu para dar um passe de dois metros no pé do companheiro. Mas o torcedor do Cruzeiro sabe que com o Adílson só joga o tal “jogador de confiança” dele, mesmo contrariando o resto do universo. Se o atleta foi contratação da diretoria, como o Guerrón, o Leandro Lima, terão mais dificuldades em estar frequentemente relacionados e entrando nas partidas, a não ser que sejam as únicas opções para a posição ou arrebentem logo na estréia.

Acreditar em Libertadores? Só quando estivermos a 1 ponto do G-4. Por enquanto sigo torcendo, e olha que não está sendo fácil. Que venha o Goiás!

Abraço!
Até mais!