Entenda porque o Cruzeiro não faturou o Brasileirão 2008


Olá, “amigos azuis”! Inauguro a coluna fazendo uma reclamação seca quanto à atuação do Time Celeste no Campeonato Brasileiro de 2008 , em especial no último jogo contra a Portuguesa, no Mineirão, que terminou em 4 a 1 para o Cruzeiro. O ataque celeste poderia ter feito seis, oito gols, além dos quatro contra o fraco time paulista, se algumas medidas simples, mas surpreendentemente eficazes, tivessem sido tomadas desde o começo da temporada. Aliás, vou mais longe: o time poderia até ter faturado o caneco. Muita gente sabe disso e vai concordar comigo em alguns pontos que vou listar aqui:

  1. Desde o começo da temporada eu comentava com meus avós e minha tia de 72 anos sobre a contratação de Rivelino. Muita gente acha essa idéia absurda por causa da idade que Riva tem hoje, mas como minha avó sempre disse, “quem é rei nunca perde a majestade”. Rivelino foi craque e sempre será. Quanto à idade, por mais que os jogadores brasileiros tenham fama de fanfarrões, tenho certeza que a maioria respeita os mais velhos. Ao ver o velho craque em campo, os atletas respeitariam o verdadeiro fenômeno, permitindo que ele mostrasse ainda com mais classe seu futebol arte.

  2. Outra contratação importantíssima seria a de Guilherme, ex-Atlético-MG. Guilherme jogaria na frente com Giovanny Patricio, vulgo Espinoza, e desequilibraria qualquer zaga adversária como sempre fez, com estilo, malandragem e alguns quilos a mais. Sempre achei que Espinoza deveria jogar na frente. Ele foi mal orientado e por isso não rende o que poderia render no gramado. Quanto aos quilinhos à mais de Guilherme, que a essa hora deve estar em alguma churrascaria relembrando os gols que marcou no galináceo, não vejo problema. Qualquer jogador acima do peso ideal está abaixo do peso de Ronaldo Fenômeno, que acaba de ser contratado pelo Corinthians e vai ganhar uma nota preta. Coisas do futebol..

  3. Sinto que faltou sensibilidade tática para providenciar algumas alterações em campo. O caso mais emblemático é o do paraguaio Sorín. Ele já é um dos grandes ídolos celestes, mas deveria estar jogando na ala direita, e não na esquerda. Todo mundo sabe que Sorín é meia-esquerda. Por isso mesmo ele poderia ser usado como elemento supresa na direita. Ou seja: os adversários aguardariam Sorín vindo pela esquerda, mas ele viria pela direita e… CAIXA!! Deixaria os zagueiros, goleiros, comissão técnica e gandulas de boca aberta com o ataque surpresa. Ótima idéia, não acham?!

  4. A interferência da diretoria no trabalho de Aílton Batista me assustou demais. Aílton é, na atualidade, hoje em dia, ou seja, agora, o melhor técnico em território brasileiro. Já ouvi muitos torcedores reclamando dele, mas a torcida não entende na verdade o que acontece no tapetinho. Eu aposto que Aílton já havia pensado em tudo que listei acima, mas que uma força maior o impediu de fazer. Aílton deveria ocupar hoje o cargo que Dunga ocupa, à frente da Seleção Brasileira. Um dia a CBF vai reconhecer. Quando isso acontecer, sugiro aos Perrella que contratem Leonardo Quintão para treinar o time celeste. Afinal com ele, tudo dápáfazê.

Não vou me estender muito para não parecer chato já na minha estréia. São apenas algumas colocações das inúmeras que tereia a oportunidade de fazer aqui, nesse espaço semanal. Como começamos aqui um relacionamento aberto, quer dizer, uma relação de confiança, queridos leitores, quero dividir com vocês uma mágoa que tive logo depois de escrever esse texto. Logo que leram, alguns amigos jornalistas disseram que estava uma droga e que tudo que eu escrevi estava errado. Alguns tiveram a petulância de dizer que eu não sei nada sobre futebol e muito menos sobre o Cruzeiro.

Bem… tenho que admitir que eu não sou muito “entendido” (disseram para não usar esse termo também), mas encarei o desafio. Tenho a convicção de que cada brasileiro tem um técnico dentro de si (ou atrás, na frente, onde quiser colocar o técnico). A verdade é que, mesmo não sendo um desses gênios do futebol que aparecem na telinha todo domingo à noite, aqui estou eu! Afinal de contas, nem todo mundo sabe jogar, mas tudo mundo quer apitar. Assim sendo, espero que vocês comentem, xinguem, elogiem, mas apareçam sempre por aqui.

Um grande abraço e até a próxima!