Chocolate no Torneio de Verão!

RENAN: A ARMA SECRETA DO CRUZEIRO.
Galera, depois da vitória do Cruzeiro em cima do Atlético por 4 a 2, no último sábado, pelo Torneio Verão, no Uruguai, “não adianta vir com guaraná pra mim… é chocolate”!

E com o sol rachando mamona às 16h20, no Estádio Centenário, em Montevidéu (onde faz sol até as 21h), o que rolou foi chocolate quente!  Tinha torcedor falando que o capeta ia assistir ao jogo, mas desceu correndo ao inferno para tomar um ar. Mas vamos ao que rolou de melhor (e de pior) nessa batalha.

O Cruzeiro, como todos sabem, começou o ano com o pé direito. Já o Atlético, com o pé esquerdo. Mais precisamente o do volante Renan. Aos 17 minutos do 1º tempo, Thiago Ribeiro cruzou para Jonathan, que tentou tocar para Wellington Paulista, mas havia um atleticano no meio do caminho. Era Renan, que queria mostrar serviço e realmente abriu o placar. CONTRA! Entre as pernas de Juninho! Lembrem-se deste nome: RENAN. A arma secreta do… CRUZEIRO!

Aos 35min., pênalti para o Atlético-MG. Tardelli tentou cruzar e Thiago Heleno defendeu. Puro reflexo. Todo mundo reclamou pênalti. E o árbitro Jorge Larrionda foi na onda. Absurdo! Thiago Heleno é um daqueles jogadores com várias habilidades: cruzar, cabecear, chutar e… defender! Tardelli cobrou e fez para o Atlético-MG.

E aos 38min., outro pênalti, feito por Welton Felipe em cima de Thiago Ribeiro. Fernandinho foi lá, desceu a porrada e… CAIXA! Juninho chegou a tocar a bola, mas não adiantou. O que todo mundo tem que entender é que às vezes não é jeito, é força mesmo! Cruzeiro 2 x 1 Atlético. Bonita camisa, Fernandinho!

Depois que o goleiro Fábio driblou dentro da área e saiu tocando, eu pensei: isso não é um jogo sério! E não era. O drible foi tão comédia que até o Fábio saiu rachando as taquaras depois do lance. Torneio Verão é isso aí!

Cinco contra um sempre foi covardia, mas não sabia que a receita funcionava só com três. Aquela tabelinha aos 46min., entre Jonathan e Ramires, com Thiago Ribeiro correndo por fora, deixando o zagueiro atleticano louco, foi muita judiação. A maldade só terminou quando Ramires fez 3 a 1 para o Cruzeiro.

Zezé, fala com os meninos para pegarem leve… O ano mal começou, Zezé!

Ah! E quem apareceu correndo, esbaforido, quando a bola já balançava nas redes? Ele! Ele mesmo! O camisa 8! Renan! O craque cruzeirense! O Atlético-MG é quem contrata e paga, mas Renan trabalha mesmo é para o Cruzeiro.

Queda de rendimento e… mais gols!

Tentei entender a queda de rendimento Azul no 2º tempo, mas como não entendo praticamente nada de futebol, não consegui. Percebi, no entanto, que Leão é esperto mesmo. Sacou o esquema de Renan e… sacou Renan do time. Heheheh… Com a saída do 12º jogador, o Cruzeiro caiu de produção e tomou o segundo gol de Tardelli (não do Atlético-MG, de Tardelli!). Leão suspirou. Haja coração, Leãozinho!!

Como alegria de pintinho mole não dura, aos 44 minutos Soares recebeu de Ramires dentro da área e… caixa!! Juninho nem viu. Ôrra, meu! Ramires tá parecendo tarado em festa de quermesse: tá em todas!

Depois de prometer 4 minutos de acréscimo, o árbitro Jorge Larrionda olhou bem para o time alvinegro e se compadeceu. Ele terminou o jogo aos 47 minutos, antes do esperado. Até o juiz ajuda o Atlético-MG, mas o Atlético-MG não se ajuda.

No Estádio Centenário o Atlético-MG jogou exatamente o que jogou no ano do Centenário: nada! Já sei o que aconteceu. Foi trauma. Se o jogo tivesse rolado no Atilio Paiva ou no José Pedro Damiani, talvez a coisa não tivesse ficado tão feia para o Atlético-MG. Kalil deveria contratar mais psicólogos. Se bem que tem horas que o que rola com o Atlético-MG, nem Freud explica! Hahahahaha! É como dizem: ruim pra eles, bom pra nós. E vamo que vamo que o show não pode parar.