Contenham a empolgação (Cruzeiro 2 x 0 Chapecoense – Copa da Primeira Liga)

Salve, guerreiros!

A Raposa segue com 100 % de aproveitamento no ano no dois torneios que disputa. Já temos contabilizada a primeira vitória do ano sobre o “Time do Ronaldinho”. A Classificação à próxima fase da Copa da Primeira Liga já está assegurada. Podemos empolgar por causa desses fatos? Absolutamente, não! A vitória desta quinta sobre a Chapecoense foi boa, mas, o Cruzeiro não fez mais que a obrigação de ganhar do sub-20 da Chape, com todo respeito aos garotos. Mesma obrigatoriedade também pelos jogos do “Queijão” dois mil e dezessete. O único teste de verdade foi contra o “Alt. Mineiro”. Ambos os times em início de temporada, inclusive esse triunfo não pode servir de parâmetro nesse momento. Sou pessimista? Claro que não! Tenho meus pés no chão. Existem porém, fatores positivos a serem explorados e vamos discorrer sobre eles no decorrer da analise.

O jogo

Um jogo morno, em que o Cruzeiro dominou o adversário e mais uma vez poderia ter feito um placar mais robusto. O domínio territorial celeste não se traduziu no padrão “Paulo Bento” de chances criadas, entretanto, temos o padrão Mano de ter uma defesa mais sólida e consistente, apesar das várias formações usadas nesses primeiros quatro compromissos da Raposa. Esse padrão Mano necessita que as oportunidades de concluir sejam aproveitadas, pois elas são mais raras em um time mais seguro com uma marcação mais baixa que o antecessor costumava utilizar.

Primeiro tempo

Na etapa inicial da partida, tivemos um Cruzeiro comprometido com a marcação. Rafinha em jogadas pela esquerda infernizava a defesa do Índio Condá. As boas tabelas com Bryan funcionaram. foi dali que surgiu a primeira chance clara celeste com Ábila desperdiçando cruzamento na medida dentro da pequena área. Do mesmo lado também surgiu a jogada em que Rafinha sofreu penalidade bem cobrada por Whanchope abrindo o marcador. A Chape não se deu por vencida e buscando o empate, mas a defesa do Cruzeiro estava muito bem postada não permitindo que o time de Santa Catarina ameaçasse a meta de Rafael. Em minha opinião, foi um segundo bom jogo de Caicedo, com uma ligeira melhora em relação à estreia, o que é natural. Estreias costuma ser tensas, por isso, considerei normal alguns erros por ele cometido.

Segundo Tempo

No derradeiro tempo do jogo, o Cruzeiro continua com a pegada na marcação. A Chapecoense tenta impor carga ao Cruzeiro e consegue levar um pouco mais de perigo para o gol celeste, obrigando Rafael a importante defesa em finalização da entrada da área. O Cruzeiro por sua vez explorava a rápida saída de bola e foi acumulando finalizações, principalmente após as substituições. A entrada de Fabrício no lugar do Bryan deu mais qualidade ao setor, uma vez que o ex americano passou a errar muitos passes e cometer algumas falhas deixando seu setor de campo desguarnecido. O uruguaio De Arrascaeta também entrou muito bem aumentando o número de finalizações celeste, mas a expectativa pela reestreia de Lucas Silva com o manto azul dominava o sentimento do torcedor. Ele entrou e quase fez um golaço no ângulo em uma tentativa de cruzamento. Ábila por sua vez, não ficou no quase, marcou um golaço de cobertura dando números finais ao marcador.

Apesar de mais dois gols, o Guerreiro de Ouro de hoje fica com Rafinha, que destruiu pelo lado esquerdo. Guerreiro de Lata me gerou uma dúvida entre Bryan e Élber, mas o primeiro ainda conseguiu acertar alguma coisa. Élber só fez número em campo. Realmente a dele parece ser apenas entrar no segundo tempo pra aprontar correria contra adversários já cansados. Ele fica com a “honraria” de lata da coluna de hoje.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO 2 X 0 CHAPECOENSE

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 09 de fevereiro, quinta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Daniel Nobre
Assistentes: Julio César Freitas e Lúcio Flor
Cartão amarelo: Scalon, Wesley (Chapecoense).
Gols: Cruzeiro: Ramon Ábila, aos 39 minutos do primeiro tempo. Ábila, aos 8 do segundo tempo (Cruzeiro)

CRUZEIRO: Rafael, Mayke, Caicedo, Manoel, Bryan (Fabrício), Hudson (Lucas Silva), Lucas Romero, Alex (Arrascaeta), Rafinha, Elber, Ramon Ábila. Técnico: Mano Menezes.

CHAPECOENSE: Tiepo; Lucas Marques, Hiago, Vinicius e Busanelo; Lucas Mineiro, Scalon (Ronei) e Bryan (Guilherme Lima); Lourency, Wesley Natã (Japa) e Perotti. Técnico:Emerson Cris

O Cruzeiro já viaja para Juiz de Fora para enfrentar o Tupi, em uma dessas loucuras do calendário em que precisa voltar a campo quarenta e oito horas após o último compromisso. Ainda bem que o Mano montou dois times e vai usando bem o elenco. Possivelmente, o time que venceu o Atlético deve voltar a campo para manter os 100 % de aproveitamento no ano. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr