16 fev Como de praxe: Misto do Cruzeiro causa chororó


Neste domingo o cruzeiro aumentou para 10 o numero de partidas sem perder para o “atlético mineiro”. A Toca da Raposa 3, mais uma vez, foi palco de espetáculo para o Cruzeiro, que jogando com um time considerado misto, pelo presidente Zezé Perrela, venceu com tranquilidade. Assiste a um jogo diferente, um Cruzeiro superior, com toque de bola, envolvendo o adversário e com o volante, Marquinhos Paraná passeando em campo.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Já no primeiro tempo, os atleticanos reclamaram um pênalti não marcado, no começo do jogo, mas ficou claro que não ocorreu a penalidade e sim uma falta não marcada fora da área. O Cruzeiro abriu o marcador aos 18 minutos, com o guerreiro, Ramires, aos 43 minutos, Soares ampliou e a torcida levou o jogo ao grito de “Oleee”.

O intervalo foi de puro show na arquibancada, a China Azul, cantava ironicamente, “Chorrraa, não vou ligar, chegou a hora…..” enquanto os atleticanos do outro lado se confrontavam entre si, na arquibancada e na geral.

No segundo tempo, para quem esperava mais gols do cruzeiro, se assustou. A Raposa diminuiu o ritmo, cadenciando o jogo. A torcida do Cruzeiro cantava e seguia o coro de olé, enquanto isto um atleticano invadiu o campo, sendo contido pela Policia Militar. Vale à pena lembrar que a Máfia Azul foi punida pela PM, proibindo o bandeirão e as famosas bandeiras em mastros, será a mesma punição aplicada na torcida rival?

Aos 31 minutos do primeiro tempo, o arbitro Alicio Pena Júnior, marcou um pênalti inexistente para o atlético mineiro. “No primeiro tempo eu achei que foi pênalti, no segundo eu achei que não foi, ele (o juiz) compensou”, afirmou o volante Carlos Alberto, do atlético.

O jogo terminou assim, Cruzeiro 2 a 1. O presidente do rival saiu cuspindo marimbondo, como é o de praxe dele, no seu show particular, enquanto a torcida azul comemorava o seu retorno. No estacionamento a falta de organização continuava, carros quebrados e falta de bilheteiros e responsáveis pelo local. Saindo do estacionamento, torcedores cruzeirenses tinham que dar a volta até a o mineirinho, local de encontro da torcida adversária, para pegar a Avenida Presidente Carlos Luz, a Catalão.

Papelão

Psiu1: Para violência dentro e fora do estádio. Antes da partida um grupo de atleticano foi atacado na Av. Silviano Brandão, a tiros. Com dois sendo feridos e um morrendo. Dentro do estádio brigas ocorriam do outro lado da arquibancada. Fica minha indignação e o pedido de PAZ entre a sociedade, seja qual for seu time.

Psiu2: Aos responsáveis pelo estacionamento, sem nenhuma organização. Já as 12horas filas imensas foram formadas para entrar no estacionamento, com policiais passando de ônibus e ameaçando multar, quem esperava para entrar no estacionamento.

Fica um abraço e saudações cruzeirenses, para a galera de Carmo da Mata, presente em peso no Mineirão, neste domingo…

Vamos Vamos Cruzeiro…


Deixe seu comentário, curta e compartilhe