557 vezes Fábio: O goleiro de Deus

557 vezes Fábio: O goleiro de Deus

Ninguém mais apropriado para falar do recorde de Fábio do que um dos maiores críticos a seu futebol. Afinal, uma parcela da torcida dizia até o ano passado que o goleiro que mais vezes vestiu a camisa do Cruzeiro não era um ídolo por não ter um grande título no clube. E sou bem desses, que critica e sempre criticou muito o arqueiro que credita ao Senhor suas melhores exibições.

Como se eterniza um cruzeirense - www.guerreirodosgramados.com.br

Como se eterniza um cruzeirense

Como se eterniza um cruzeirense - www.guerreirodosgramados.com.br

Não me lembro mais se era domingo ou sábado. Era final da Copa do Brasil. Eu estava onde nasci, no meio do nada, lugar com uma natureza exuberante, paisagem bonita, tranquilidade absurda. Nada de buzinas, foguetes e gritos. Canto de pássaros eram a trilha daquele dia inesquecível. Meus oito anos de idade não poderiam ter uma recordação melhor do que aquela.

93 motivos para ser cruzeirense #93MotivosParaGostarDoCruzeiro

93 motivos para ser cruzeirense #93MotivosParaGostarDoCruzeiro

Para boa parte dos torcedores brasileiros, o início do ano é sinônimo de apreensão e curiosidade. Contratações, especulações, dispensas, renovações. Mas para uma “parcela”, de nove milhões de torcedores, o começo do ano também é sinônimo de alegria e não é só por um motivo, são 93 motivos. Hoje o Cruzeiro Esporte Clube completa 93 anos de história. São 93 anos de páginas heroicas, imortais, escritas dentro e fora do país com títulos capazes de superlotar qualquer sala de troféus.

A memorável conquista da Copa do Brasil 2003: Segunda partida da final

A memorável conquista da Copa do Brasil 2003: Segunda partida da final

Salve Guerreiros! Continuando o rememorar da final da Copa do Brasil de 2003 vamos começar pelos dias que separaram os jogos. São tantas histórias boas que nem sei se poderei aproveitar todas elas!

Como deixar de fora o fato da torcida Rubro-negra comemorar o fato de termos perdido nossa zaga titular como se isso lhes garantisse a vitória. Como não se lembrar das asneiras que disse o capetinha Edilson como se o Mineirão e sua imensa torcida azul não fossem fazer a diferença.

Alex Alves, um lutador em campo e fora dele

Quem não se lembra das comemorações marcantes, da ginga da capoeira, do sorriso estrelado de Alex Alves? Hoje uma estrela pode estar apagada na terra dos grandes homens, mas em algum lugar essa estrela brilhará eternamente, e em nossas lembranças ficará a imagem do craque indescritível.